O Portal Carreira & Sucesso é uma publicação digital da Catho. Aqui você encontra informações relacionadas ao mercado de trabalho, que irão auxiliá-lo em seu desenvolvimento profissional.

15/09/2004 - Saiba como responder perguntas difíceis durante a entrevista

Autor: Tatiane Leiser

* Cristina Balerini

Perguntas difíceis nas entrevistasTodo processo seletivo é muito difícil. As dificuldades vão desde a elaboração do currículo até as fases finais do processo, como as entrevistas com os gestores da área responsável pela contratação. É nesse momento que surgem aquelas perguntas que sempre deixam o candidato numa situação embaraçosa. Você deve imaginar do que estou falando: “quanto você quer ganhar?”, “por que deixou ou quer deixar seu emprego atual?”, “fale-me seus pontos fracos” etc., são apenas algumas delas.

Para ajudá-lo a se sair bem, respondendo a contento ao selecionador, conversamos com duas consultoras da Catho: Patrícia De Mônica e Ana Paula Dias. Siga essas sugestões e conquiste sua vaga no mercado de trabalho. Boa sorte.

Quanto você quer ganhar?

Essa é uma das mais complicadas e difíceis de serem respondidas. “Recomendamos que você não seja o primeiro a indicar um valor. É importante frisar que gostaria de ganhar de acordo com o mercado de trabalho, e que para situar o selecionador quanto ao seu perfil você poderá indicar sua faixa salarial atual. É adequado citar apenas a remuneração direta sem bônus e comissões para não espantar o selecionador. Ressalte que você é flexível quanto a esta questão e devolva a pergunta questionando sobre a faixa salarial do cargo em discussão”, sugere Patrícia.

Para Ana Paula, este momento dependerá também do poder de barganha do candidato, ou seja, se o mesmo estiver empregado, seu poder de negociação será maior, uma vez que não depende financeiramente desta proposta. Neste caso, a resposta deverá ser a seguinte: “Estou bem-empregado. Logicamente, para deixar meu atual emprego, quero ganhar mais. Para situar-lhe, posso dizer que estou ganhando o seguinte…”. “É adequado especificar a remuneração direta, os benefícios e bônus. Porém, ainda assim, não é adequado dizer o quanto deseja ganhar. Já no caso de um profissional desempregado, o poder de barganha é bem menor. Neste caso, o candidato deverá também demonstrar flexibilidade, no entanto, deve mencionar que deseja ganhar de acordo com o mercado”, complementa.

É importante manter-se atualizado sobre a média salarial paga pelo mercado de trabalho. Para obter estas informações, você poderá consultar gratuitamente a pesquisa salarial da Catho.

Por que saiu ou quer sair da empresa em que está atualmente?

“A resposta a esta pergunta dependerá muito do verdadeiro motivo que fez com que o candidato deixasse a empresa anterior. No caso de demissão, será necessário dizer a verdade, uma vez que provavelmente as referências serão verificadas. Caso a demissão seja referente a uma diminuição de custos ou a uma reestruturação na empresa, não será vista de maneira muito negativa pelo selecionador, pois demonstra que a saída não esteve diretamente relacionada ao desempenho profissional, neste caso será adequado citar o número de funcionários demitidos no mesmo período, pois uma informação deste tipo dará maior credibilidade ao discurso”, comenta Ana Paula.

Mas cuidado para não querer aproveitar a chance e falar mal da empresa, do chefe imediato, dos colegas… Vale sempre mencionar informações que demonstrem o bom desempenho profissional no período em que permaneceu na companhia, além de falar sobre sua busca por melhores oportunidades.

“Destaque que está em busca de novos desafios e crescimento profissional. É importante deixar claro que você sabe o que quer e que tem um plano de carreira definido e que como não vê mais possibilidades de desenvolvimento profissional na organização, você traçou como estratégia a busca por uma nova oportunidade”, diz Patrícia.

Por que você acha que será útil para a nossa organização?

Ao ser questionado sobre o motivo pelo qual você se julga útil para a organização, a recomendação é para que aproveite esta pergunta para continuar vendendo as suas principais qualificações, pois para a empresa o mais importante neste momento é avaliar se você será capaz de trazer os lucros esperados. “Recomendamos que indique os principais resultados obtidos nas empresas em que atuou e que você tem muito a contribuir com a organização. Demonstre entusiasmo e muita força de vontade, já que estas características são muito desejadas pelos empregadores”, comenta Patrícia.

Quais seus pontos fortes?

Ao responder a esta pergunta, procure destacar características universalmente desejadas pelos empregadores, tais como capacidade de trabalhar em equipe, iniciativa, entusiasmo, persistência, dedicação, responsabilidade e competência. “Apenas tome cuidado para não destacar características de personalidade que não possui, uma vez que as mesmas acabam sendo demonstradas e percebidas pelos selecionadores e passar uma imagem divergente do que se é, além de soar falso, fará com que você perca a credibilidade do recrutador”, alerta Patrícia.

Quais seus pontos fracos?

Muitos profissionais tentam “sair pela tangente” ao serem questionados sobre seus pontos fracos, indicando características que na verdade são positivas, como perfeccionismo, autocrítica e impaciência. “Neste momento o candidato poderá citar também características técnicas, como falar mais de um idioma ou realizar uma pós-graduação. Porém, as mesmas não devem ser muito relevantes para a vaga que estiver concorrendo. No caso de optar por citar uma característica técnica, é importante ressaltar que já está em busca de suprir esta necessidade”, explica Ana Paula.

Já Patrícia sugere ao candidato que assuma pelo menos um ponto fraco que não seja tão prejudicial para o cargo ao qual ele está concorrendo e ressalte tudo o que está fazendo para contorná-lo. “Desta forma, o candidato demonstrará que está consciente de suas deficiências e que está interessado em contorná-las”.

Por que você quer trabalhar conosco?

É imprescindível demonstrar que você é o candidato ideal para a vaga em questão. Fale sobre seus reais interesses em trabalhar na organização, comente sobre o que você tem observado sobre a empresa e sua atuação no mercado. “O ideal é que você pesquise este tipo de informação antes da entrevista, desta forma você poderá basear seu discurso naquilo que já sabe sobre a empresa, o que impressionará ainda mais o selecionador. Além disso, você se destacará em relação aos candidatos que não sabem nada sobre a organização”, sugere Patrícia.

Fale-me sobre você

Quando o selecionador pede para que o candidato fale sobre ele mesmo, deseja ouvir informações a respeito de seu perfil profissional. “É importante, neste momento, citar características pessoais, mas que estejam diretamente ligadas a sua vida profissional, como por exemplo o fato de ser uma pessoa persistente e objetiva no que faz. É importante, também, demonstrar estabilidade emocional”, avalia Ana Paula. Você pode dizer, por exemplo, que é um profissional pró-ativo que tem metas e objetivos definidos.

Quer fazer alguma pergunta sobre nossa empresa?

Esteja preparado para fazer perguntas inteligentes, que demonstrem seu interesse e preparo e que tragam informações que você julgue necessárias. A consultora Patrícia acredita que perguntas honestas, às quais você realmente queira uma resposta, terão mais impacto do que aquelas perguntas preparadas ou previsíveis. “Você poderá questionar sobre o tipo de negócio da empresa e questões referentes às tarefas que realizará”.

Fale-me sobre o seu relacionamento com seu (ex) chefe e (ex) colegas

Hoje em dia, os selecionadores buscam profissionais que sejam capazes de trabalhar em equipe, uma vez que este tipo de situação é primordial para o sucesso da empresa. Desta maneira, não será adequado mencionar que já passou por algum problema de relacionamento nas empresas em que atuou, pois os empregadores poderão interpretar esta informação de maneira negativa.

“Além disso, o entrevistado não deve falar mal das empresas ou dos profissionais com quem trabalhou, pois não é ético e os entrevistadores não apreciam comentários negativos durante as entrevistas de emprego. Dessa maneira, o mais adequado é fazer comentários positivos a respeito do perfil do (ex) chefe e dizer que sempre se relacionou muito bem com seus colegas de trabalho”, aconselha Ana Paula.

E Patrícia complementa: “Relacionamento é, sem dúvida, uma das principais palavras da atualidade. Hoje em dia, quem não se relaciona bem poderá encontrar inúmeras dificuldades em obter sucesso na carreira. Se não puder falar muito sobre (ex) colegas e (ex) chefes, cite somente algo positivo como ‘Acredito que é um profissional competente no que faz’. Isso já basta”.

Como agir diante de dinâmicas de grupo um tanto quanto estranhas

A dinâmica de grupo é uma atividade utilizada pela maioria das empresas e consultorias de Recursos Humanos para avaliar as características dos candidatos. Muitas vezes os candidatos são colocados diante de situações que parecem absurdas mas que, na realidade, servem para que o selecionador descubra habilidades e pontos de seu comportamento.

“De uma maneira geral, para sair-se bem na dinâmica de grupo é necessário manter a calma. Ficar nervoso durante o processo não vai adiantar nada e só vai prejudicar. É necessário que o candidato tenha jogo de cintura para lidar com imprevistos e saber improvisar, saber ouvir e principalmente saber se colocar, expor e defender suas idéias”, diz Ana Paula. E Patrícia conclui: “Aja com naturalidade às tarefas propostas para que você tenha maior chance de ser escolhido”.

 

Serviços da Catho sugeridos:

Análise de Currículo: Consultores avaliam seu currículo e enviam por e-mail todas as orientações para adequá-lo.

Elaboração de Currículo: Consultores elaboraram um currículo, destacando os pontos fortes de sua carreira profissional.

Carta de Apresentação: Consultores elaboram uma carta de apresentação objetiva para destacar-se nos processos seletivos!

Simulação de Entrevista: Faça uma simulação de entrevista com nossos consultores e fique mais preparado e confiante na conquista do novo emprego.

Leia mais sobre: