Como é a técnica da constelação aplicada a você e a sua carreira?

Autora: Juliana Isliker

Já falamos sobre as escolhas de carreira e sobre a atuação da Constelação no seu dia-a-dia como líder, como empreendedor, como funcionário. Hoje eu vou falar um pouco mais da técnica e porque conseguimos olhar para os fatos através de uma constelação.

Durante uma constelação, sempre buscamos colocar a ordem em função do amor. Sempre buscamos fazer com que o amor flua em nossos sistemas. Costumo dizer que é como uma limpeza do rio. A constelação serve sim para limpar o rio, de maneira que o amor, que é a água, possa fluir com abundância.

E como fazemos isso, afinal? Bom, a constelação usa do fenômeno chamado Campo Morfogenético.  O campo morfogenético é um espaço onde são guardadas todas as informações. É como se fosse a “nuvem”. Tudo o que acontece em nossas vidas, consciente ou inconscientemente estão registradas na nuvem. Em nossas vidas, na de nossos antepassados, de todos na verdade. E esse conjunto de informações é atemporal, ou seja, pode ter acontecido ontem, hoje, ou há centenas de anos, que as informações estão e continuam guardadinhas lá. (O campo foi bastante estudado e descrito por um inglês chamado Rupert Sheldrake.)

E como faz então para acessá-las?

Quando uma constelação se inicia, nós escolhemos representantes para fazerem o papel do que está no campo. E assim começa a constelação – cada representante sente em si  a informação e ele traz isso para a constelação.

Trazendo à tona essas informações, sem os filtros e máscaras que usamos no nosso dia-a-dia, podemos atuar e colocar em “ordem”. Podemos então pedir para que um pai diga a seu filho que deixe que ele resolva algo por ele mesmo. Ou então, para que uma pessoa diga a um emprego anterior, para encerrar um ciclo: eu agradeço pelo seu papel, por me fazer crescer e enxergar novos caminhos. Eu dou um lugar ao que aconteceu, não apago e não excluo você, apenas sigo em frente…

A constelação é libertadora, pois como atua nos movimentos mais profundos, nas informações que estão de fato presentes no campo, não são impedidos seus movimentos. Algumas vezes é difícil dizer, ou é difícil olhar para uma situação que ainda machuca. Mas o primeiro passo, que é a disposição a ver o que está por trás de qualquer situação que nos incomoda, é que é necessário para a mudança!

A constelação então, nesse aspecto, serve para olharmos para empregos anteriores, profissões que escolhemos e não sabemos de onde temos afinidade ou para entendermos o contexto por trás de cada uma de nossas escolhas profissionais.

É um “trazer à tona”, ou trazer à consciência o que nos move de maneiras ainda oculta e não clara para nós mesmos, e podermos então escolher encerrar ciclos, iniciar carreiras e nos relacionarmos com o trabalho, de maneira mais clara e consciente.

_
Sobre a autora: 
Juliana Isliker é formada em Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), com pós-graduação em Educação e Gestão de Pessoas pela PUC Campinas e MBA em Recursos Humanos na Universidade de São Paulo (USP). É coach de executivos com mais de 15 anos de experiência em empresas globais, como Hay Group e Pilkington, e coach sistêmica e facilitadora de grupos de constelação familiar online e presencial.

Seu Youtube
Seu site
Seu Facebook

Como aproveitar o final de semana e trabalhar ao mesmo…

O que fazer quando um colaborador chora no trabalho

5 perguntas para saber se é o momento certo de…