Fuja dos reclamões!

Quando temos um “reclamão” na empresa, tudo parece ser motivo para indignação. A lista é enorme: se está calor, se está muito quente, se chove o trânsito fica congestionado, sempre acha que tem alguém querendo prejudicá-lo e, a todo o momento, tudo parece azedar sua vida. Isso não agrega nada a ele próprio e muito menos ao trabalho.

No campo das relações interpessoais, esse tipo de atitude pode tornar o clima pesado, dividir o grupo, e criar isolamento principalmente do próprio profissional insatisfeito.

Muitas pessoas ficam irritadas com o comportamento e não sabem como lidar com a situação. Em momentos difíceis, o “reclamão” pode ser fonte de desmotivação para outros membros da equipe. Seu comportamento estimula os outros a reclamar, às vezes, simplesmente como uma maneira de chamar atenção para si. Essas pessoas reclamam por se sentirem inseguras, por terem baixa autoestima ou como desculpa para não se expandirem, para não se empenharem na própria mudança.

“Também pode tirar o foco das metas e levar as pessoas para o foco em problemas, afinal o que é reclamar senão falar de coisas que você não quer, em vez de falar daquilo que você quer”, explica o coach fundador da Você Vencedor Soluções Empresariais, Flávio Souza.

Do que tanto se reclama

Segundo a consultora e gerente de Remuneração da Leme Consultoria, Rosane Ribeiro, quando falamos de insatisfação ou desmotivação dos colaboradores nos mais diversos segmentos, encontramos sempre com um dos líderes no ranking das reclamações/insatisfações, a falta de um plano de carreira: “Onde posso chegar, de que forma posso crescer na empresa”. A ausência de ferramentas objetivas e claras que possibilite o colaborador planejar e trilhar sua carreira gera tais insatisfações, e como consequência ele  se sente estagnado, desmotivado em relação ao seu salário e suas competências versus suas responsabilidades.

Outro tipo de reclamação que é problema são aquelas que advêm do profissional que tem comportamento de vitimação. “O famoso ‘reclamão’ com seu comportamento CDM, mais conhecido como ‘coitadinho de mim’, acha que tudo está errado, que tudo é injusto, que tudo é contra ele. Esse reclama de tudo e não se habilita em tomar providências, quer que tudo mude, mas ele mesmo se recusa a mudar.  Aqui qualquer coisa pode virar motivo de reclamação, até mesmo os benefícios”, analisa Souza.

Entretanto, há também as insatisfações pessoais em que o colaborador comenta que algo não está bom e age assertivamente em busca de solução para si e para empresa. São muitas as queixas nesse caso, como salário, sobrecarga de trabalho, falta de oportunidade de crescimento, falta de feedback do superior imediato, entre outros. Esses são aqueles casos em que o profissional busca resolver a situação da melhor forma, pois sabe que isso faz parte do desenvolvimento da carreira, que é algo saudável.

Como conviver com os reclamões

Há muitas coisas que os demais colaboradores podem fazer para não serem contagiados pelo pessimismo dos reclamões, e Flávio Souza separou algumas dicas:

– Não leve nada do que o “reclamão” diz para o lado pessoal, a grande maioria está generalizando as suas reclamações, então não é uma questão específica com você;

– Filtre o que ele diz e o que não te serve simplesmente ignore;

– Não tome como verdade as palavras do “reclamão”, entenda que isso é somente o ponto de vista dele, então avalie as coisas com uma percepção mais ampla;

– Peça a ele sugestões de melhorias ou que explique como ele faria melhor;

– Posicione-se, diga: Eu percebo essa situação de outra forma e não concordo com você;

– Pergunte a ele: O que você está fazendo efetivamente para melhorar a situação? Quando você vai falar com os verdadeiros envolvidos? Podemos conversar sem reclamações?;

– Diga a ele as coisas de que gosta na empresa e porque esse trabalho é importante para você;

– Desafie-o, para cada reclamação que trouxer cite 3 pontos positivos da empresa;

– O contraponto da reclamação é a gratidão, cada vez que ele reclamar diga por que você é grato à empresa ou aquela pessoa de quem ele está falando;

– Desenvolva sua assertividade e de um feedback claro a ele, diga como se sente quando ele fica reclamando demais;

– Se não consegue lidar com o mesmo de maneira adequada, afaste-se, pois ele será nocivo para você.

10 habilidades imprescindíveis para qualquer profissional

3 formas de potencializar sua carreira com o dinheiro do…

5 dicas para profissionais experientes estruturarem um currículo