Timidez: defeito ou qualidade no perfil profissional?

A timidez não é uma característica negativa, a não ser quando revela insegurança profissional. Em algumas áreas de trabalho ela pode ser até considerada prejudicial, principalmente se a atitude é exagerada. Traços de personalidade, no mercado de trabalho hoje, contam tantos pontos quanto os conhecimentos adquiridos.
Alguns headhunters arriscam dizer que quando uma empresa está diante de um candidato que tem tudo o que ela quer, mas não é exatamente o que ela quer, o melhor é não contratá-lo. A preferência deve ser por alguém que seja aquele funcionário que a empresa quer, mesmo que não tenha tudo o que ela quer, porque, se o conhecimento se adquire, a personalidade não. Esses especialistas vão ainda mais longe quando dizem que o candidato escolhido é o que gera mais empatia na hora da entrevista, e que o tímido passa insegurança, mesmo quando sabe mais do que o candidato que é desinibido.
Há uma frase de Robert N. Bolles, no livro “Qual é a cor do seu pára-quedas?”, que sintetiza a questão: “A pessoa que consegue emprego não é necessariamente aquela que desempenha melhor as tarefas do cargo, mas aquela que sabe mais sobre como conseguir emprego!”

TIMIDEZ
Em exagero, a timidez – uma forma de inibição crônica – pode prejudicar ou comprometer a atuação de uma pessoa dentro da empresa, assim como o rendimento na hora da entrevista de seleção para contratação. O inibido tende a se retrair e não expor suas idéias, se apagando diante da liderança e, aí sim, pode ser atropelado pela agilidade do mercado. A comunicação é fundamental para o trabalho em equipe, e o marketing pessoal está sendo cada vez mais comentado.
Ilson Silva Pereira, diretor de Recursos Humanos de empresa multinacional, não considera a timidez um defeito, a não ser quando o tímido não toma nenhuma decisão e não expõe as suas idéias, opiniões e sugestões durante a apresentação de projetos ou reuniões da empresa. “O tímido tem opinião, mas não consegue apresentá-la. Esse é o único fator que pode ser considerado um defeito no perfil profissional.” Ilson afirma que a timidez tem um lado positivo, pois o tímido geralmente é uma pessoa que ouve muito, pensa antes de falar e quando toma decisões, apesar de em geral demoradas, são mais sensatas e planejadas.

O PROFISSIONAL TÍMIDO
O entrevistador consegue detetar quando a pessoa é tímida logo quando ela chega à entrevista de emprego. “É uma pessoa calada, não questiona e nem dá o primeiro passo na conversa. Se o entrevistador não fizer a primeira pergunta, os dois ficarão calados”, situa Ilson Silva Pereira. “Cabe ao profissional de Recursos Humanos distinguir se a pessoa é tímida e, se for, oferecer condições para que ela se abra, fale e mostre o que sabe ou não fazer”, complementa.
A timidez não elimina o candidato na hora da seleção, mesmo porque essa é a uma característica que, com o passar do tempo, pode até desaparecer. “Tenho um caso semelhante dentro da empresa onde trabalho. Hoje temos em nosso quadro de funcionários um profissional que ocupa um cargo de gerência, mas que entrou aqui como office boy, há muitos anos, e que era considerado o funcionário mais tímido de toda a equipe. Com o passar dos anos, e com o relacionamento com as outras pessoas, acabou mostrando seu potencial e conseguiu se desenvolver profissionalmente. Hoje não restou nada de tímido em sua personalidade”, ilustra o diretor Ilson Silva Pereira.
Algumas áreas de trabalho pedem profissionais mais desenvoltos, então uma pessoa tímida pode ter muita dificuldade para se desenvolver perfeitamente, diz ele. “Um exemplo é a área de Marketing. Quando a desenvoltura faz parte do perfil exigido, realmente fica mais difícil do tímido se encaixar, mas em qualquer outra área o que vale em primeiro lugar é o conhecimento.”

A TIMIDEZ É O MEDO DE ALGUMA COISA
O conceito de timidez, segundo a psicóloga Wilma Meire Moia, é o medo que a pessoa sente diante de situações sociais em que fica exposta à observação de outras pessoas. “Mas a timidez não é uma doença”, afirma ela.
As causas deste problema são variadas, segundo Wilma, que diz ainda que a timidez costuma se estabelecer na faixa etária de 12 a 20 anos, porque é justamente neste período que o jovem usa de todos os seus focos e sua rebeldia para impor seus desejos, idéias e ideais. “Essa característica acaba sendo influenciada pela educação dada pelos pais, e a forma com que a pessoa compreende ou não seus fracassos e sucessos permite que a timidez se instale ou não”.
As reações físicas de um tímido, como ruborização da face, gagueira ou suor nas mãos, podem até ser tratadas, mas só vão desaparecer quando as causas emocionais forem controladas e tratadas. Se a timidez, e seus sintomas, chegarem a atrapalhar o desenvolvimento profissional, então alguma coisa tem que ser feita imediatamente.

TIMIDEZ TEMPORÁRIA EXISTE
O diretor de Rh Ilson Silva Pereira afirma que, por diversas vezes, já percebeu candidatos tímidos na primeira entrevista de trabalho ou durante reuniões e discussões em grupo, mas que muitas vezes essas pessoas não apresentam a timidez como traço de personalidade. “Em uma entrevista de emprego as pessoas podem ficar inibidas mesmo sem serem tímidas”, exemplifica.
A psicóloga concorda, e complementa dizendo que se partirmos do princípio de que ninguém é bom em tudo, em algumas situações as pessoas podem se retrair como, por exemplo, na hora de falar em público, de se aproximar das pessoas ou em uma entrevista de emprego. “É importante distinguir que timidez é diferente de ansiedade e nervosismo, embora muitas vezes estes sentimentos estejam interligados, porque quem é tímido sente a ansiedade e o nervosismo. São sentimentos bem diferentes, e que às vezes são confundidos pelas pessoas”, explica Wilma.
Existem treinamentos e exercícios que podem ajudar a amenizar os sintomas da timidez. Conforme as explicações da psicóloga, para aliviar a timidez, principalmente a temporária que aparece diante do entrevistador de uma empresa, a pessoa deve, em primeiro lugar, enfrentar estes momentos, e não tentar fugir deles. “As coisas só acontecem quando existe o risco”, ressalta Wilma. “Acertos e erros estão presentes na vida de qualquer pessoa, e nem sempre conseguimos agradar as pessoas que gostaríamos, da maneira como gostaríamos, e isso tem que ser encarado da maneira mais natural possível”.
Cursos de oratória, palestras, terapia e até mesmo o exercício do espelho são indicados pela psicóloga. “Nada melhor para amenizar a timidez antes de uma apresentação ou uma entrevista de emprego, do que treinar em frente ao espelho como se estivesse falando com um amigo. Não hesite em anotar em um pedaço de papel aquilo que considerar mais importante em seu discurso ou conversa, e vá treinando no caminho. Para se sentir ainda mais desinibido, tente olhar por cerca de 20 segundos o ambiente assim que chegar. Isso faz com que a pessoa se sinta mais aliviada e ambientada, amenizando um pouco a timidez”, detalha a psicóloga Wilma Meire Moia.

VOCÊ SOFRE DO MAL SILENCIOSO?
A timidez, segundo estudiosos, afeta metade da população mundial, e nos Estados Unidos é chamada de mal silencioso, justamente porque as pessoas nunca imaginam que esses números são tão altos. Como pode ser que metade da população do mundo seja de pessoas tímidas, se raramente ouvimos queixas sobre este assunto? Justamente porque essas pessoas são tímidas e por isso não se queixam!
Você é tímido? Já parou para pensar nisso? Uma clínica especializada em amor e timidez, de São Paulo, (www.timidez.com/index.htm) desenvolveu um teste para as pessoas descobrirem se são ou não tímidas.
Responda todas as questões, e confira sua pontuação:

1-Você sente dificuldade em olhar as pessoas nos olhos?
Sim ( )
Não ( )

2-Você sente vergonha de conversar ou pedir informações para pessoas desconhecidas?
Sim ( )
Não ( )

3-Você sente ansiedade ou alguma outra reação física desagradável diante de situações de convívio social, como festas e reuniões?
Sim ( )
Não ( )

4-Você possui menos amigos do que gostaria?
Sim ( )
Não ( )

5-Você tem pensamentos negativos em relação a você mesmo com freqüência?
Sim ( )
Não ( )

6-Você é muito exigente quanto ao seu desempenho social, ou seja, você sempre se preocupa em passar uma imagem boa para as pessoa?
Sim ( )
Não ( )

7-Você sente dificuldade em falar em público?
Sim ( )
Não ( )

8-Você sente dificuldade em expressar seus sentimentos, opiniões e pensamentos?
Sim ( )
Não ( )

9-Você costuma evitar situações que considera como embaraçosas?
Sim ( )
Não ( )

10-Você diria que “pensa demais” diante de situações sociais, sempre analisando as conseqüências de cada atitude sua e as reações que as outras pessoas podem ter?
Sim ( )
Não ( )

Some dez pontos para cada resposta afirmativa e confira seu resultado:

DE 0 A 40 PONTOS:
Numa primeira avaliação, você não apresenta traços de uma pessoa tímida. É comum nos sentirmos inibidos em algumas situações, isto acontece até mesmo com alguns atores, figuras públicas tão acostumadas ao contato social. Você parece experimentar a timidez em apenas algumas ocasiões isoladas, e certamente uma dose de esforço pessoal pode ajudar na luta contra alguns obstáculos que podem tentar impedir sua livre expressão emocional e intelectual.

DE 50 A 70 PONTOS:
Você respondeu “sim” para um número considerável de questões, o que indica que a timidez na sua personalidade não é tão situacional. Apesar de não ser um tímido crônico, pode ter certeza que você está deixando de aproveitar de uma série de experiências advindas do contato social, o que pode comprometer seu progresso pessoal e profissional. Você sabe o que precisa ser modificado, só precisa de um empurrãozinho. Vale a dica de tirar informações proveitosas de livros, cursos ou palestras. A consciência daquilo que o aflige é o primeiro passo para a busca de uma solução.

DE 80 A 100 PONTOS:
Se você fez esta pontuação, é porque respondeu afirmativamente à grande maioria das questões. Sua timidez pode limitar sua atuação no meio social e o aspecto mais desagradável de tudo isso é que o tímido coleciona cada vez mais impressões negativas à respeito da sua atuação, distanciando-se cada vez mais da “linha de pensamento” que poderia permitir que vencesse suas dificuldades. A cura da timidez, neste caso, não é complicada mas geralmente está associada ao trabalho terapêutico. Não deixe para amanhã a grande mudança pessoal que você pode iniciar ainda hoje!

VOCÊ SABE O QUE É O TESTE ARSEM?
Este teste foi desenvolvido pelo Grupo Catho para descobrir a personalidade de um candidato a uma vaga de uma empresa, e como estes traços de personalidade podem influenciar na carreira deste profissional. ARSEM representa uma sigla para Atividade, Raciocínio, Sentimento, Ética e Materialismo.
Estas são tendências que todas as pessoas possuem, e se distinguem umas das outras justamente pela intensidade relativa a cada uma delas. A análise não indica personalidades de maior ou menor valor, mesmo porque isso não existe. O que o teste mostra, pelas tendências, é como uma personalidade é mais ou menos adaptável a uma ou outra função profissional.
O teste não serve para medir capacidade, mas sim personalidade, aí saber qual cargo se encaixa melhor com qual pessoa. Qualquer pessoa pode preencher o teste no seguinte endereço:www.catho.com.br/cac/inicio.phtml

Para validação do teste, o Grupo Catho o aplicou em 5.963 homens e 3.525 mulheres. Os resultados indicam o seguinte:

Executivos:os valores obtidos mostram que os executivos, em geral, se destacam mais por personalidades que dão mais ênfase às características atividade, raciocínio e ética. O executivo possui, em média, uma personalidade equilibrada.

Mulheres:as mulheres têm mais pontuação em sentimento do que os homens. Isso mostra também que as características de personalidade feminina têm uma variação distinta da dos homens.

Hierarquia:o item atividade é maior na mesma proporção que o nível hierárquico sobe. Quanto menor o cargo, a característica sentimento aparece com mais ênfase.

Valores médios das características dos cargos especializados:

Alto valor de atividade:para homens vendedores, consultores e repórteres, e para mulheres vendedoras e engenheiras.

Alto valor de raciocínio:para homens contadores, advogados, médicos, consultores e repórteres. Para as mulheres este valor é bem menor, se comparado ao dos homens.

Alto valor de sentimento:para homens médicos, vendedores e programadores. As mulheres se destacam por possui em este item em sua grande maioria. A curiosidade é que para repórter, homens ou mulheres, este valor é mínimo.

O menor valor de ética:para homens advogados e mulheres programadoras. Consultor e repórter se destacam por terem os menores valores de ética.

O maior valor de materialismo:para homens e mulheres que trabalham com vendas.

Valores médios por área funcional:

Para o valor de A:marketing, operações e suprimentos para homens e marketing, produção e engenharia para as mulheres.

Para o valor de R:finanças, sistemas, engenharia e imprensa para os homens e suprimentos para as mulheres.

Para o valor de S:recursos humanos para os homens e todas as áreas, praticamente, para as mulheres.

Para o valor de E:recursos humanos e suprimentos para os homens e produção para as mulheres.

Para o valor de M:sistemas, operações e suprimentos para os homens e operações e recursos humanos para mulheres.

Remuneração:a remuneração mais alta acompanha, para os homens, mais valores em A e menores em S. Para s mulheres, maiores em Atividade.
(Ana Paula Ruiz é repórter do jornal Carreira & Sucesso)

Aproveite o feriado para pensar em sua carreira

5 dicas para o trabalho temporário virar efetivo

Eu posso trabalhar com horário flexível?