Filmes que inspiram: Dia de Treinamento

Até onde você pode chegar para ser promovido na carreira? Em Dia de Treinamento, Denzel Washington interpreta o detetive Alonzo, veterano do departamento de narcóticos e líder de um grupo de agentes que trabalham na cidade de Los Angeles lutando contra o tráfico de drogas, que age de forma questionável, espancando suspeitos, falsificando mandados e utilizando provas apreendidas como forma de pagamento de seus informantes.

Na verdade, há um limite tênue entre combater o crime de forma brutal e também transformar-se em um criminoso, e é justamente isso que o novato Jake Hoyt (Hawke) descobre ao ser escalado para passar o dia com o detetive. A princípio, Hoyt se mostra ansioso para impressionar seu superior, por quem tem grande admiração. Porém, na medida em que vai testemunhando os métodos de trabalho pouco convencionais do veterano, o rapaz começa a questionar a eficácia e o valor dos resultados obtidos. E o que é pior: o simples fato de acompanhar Alonzo ao longo do dia pode lhe custar a carreira e, assim, o jovem policial mergulha progressivamente em um emaranhado de delitos e de questionamentos pessoais.

A grande tragédia neste caso é que o personagem de Washington é um profissional competente, possuindo um currículo impressionante de prisões efetuadas. Graças à sua experiência e ao seu faro policial, ele sabe onde encontrar informantes e identifica com relativa facilidade os grandes criminosos de sua cidade. Infelizmente, sua lógica distorcida leva-o a cometer atos inaceitáveis (que ele simplesmente não enxerga como incorretos). Alonzo não se tornou corrupto por interesse, mas sim como forma eficaz de tirar o crime das ruas – e, em certo momento, quando explica o funcionamento do sistema para seu pupilo, seus olhos ficam marejados, como se ele lamentasse esta dura realidade.

Em uma sociedade como a nossa, onde é cada vez mais natural que tenhamos o impulso de apoiar atitudes semelhantes a do detetive Alonzo, é comum no ambiente profissional existir algumas pessoas ambiciosas e competitivas, que querem crescer a qualquer custo, nem que para isso tenham que ser coniventes com comportamento ruins, destrutivos. Neste sentido, vale ressaltar a excelente postura do jovem Jake Hoyt, que desejou muito ser promovido por dois motivos: ele acabara de ser pai e já não tinha mais interesse em continuar no marasmo que era suas atividades na sua posição anterior. Mas, mesmo ao assumir a nova posição, não abandonou seu espírito honesto, de cumprir como o que a lei determina.

O interessante do roteiro é que o tempo todo ficamos curiosos para ver se o novato conseguirá ser corrompido por seu novo “chefe”. Vale a pena conferir o desfecho da história!

Confira o trailer:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=32YJ9udpIx8[/youtube]

Currículo Perfeito? Dicas em áudio para você!

Novo semestre: dicas para conseguir um estágio

Paternidade ativa e carreira