Erros comuns ao se vestir para entrevista

Autora: Camila Martins

A roupa é responsável pela primeira impressão que causamos nos selecionadores durante a entrevista de emprego. Para não errar, a dica é sempre pesquisar sobre o ambiente e a cultura da empresa antes da entrevista, quando conhecemos o clima da organização, seja ele, mais ou menos formal as chances de acertar na roupa é bem maior. Mesmo assim, muitos candidatos erram na escolha do look.

Larissa Meiglin, Psicóloga e Supervisora da Consultoria ao Candidato e à Carreira da Catho, apontou quais os principais erros aos se vestir para uma entrevista, de acordo com a idade com o candidato.

Candidatos com idade entre 18 e 25 anos

O principal erro aqui é a informalidade extrema, como tênis, calça jeans desgastada/sem ajuste ao corpo, camiseta, boné, camiseta de time de futebol. A roupa falta dizer “saí assim, não me preparei”. Maquiagem de balada na entrevista também não é uma boa. Com a influência cada vez maior de youtubers e influenciadores focados em beleza, pesar a mão na maquiagem no dia a dia está se tornando algo mais comum, mas não é adequado para o momento da entrevista.

Estampas de bichinhos e frases de humor em camisetas ou mesmo camisas de alfaiataria só caem bem se a empresa tem uma cultura organizacional mais descolada, se for uma empresa jovem.

Candidatos com idade entre 30 e 45 anos

Formalidade excessiva: terno e gravata para os homens e blazer e saia para as mulheres. Faz tempo que isso deixou de ser uma regra no mercado de trabalho. Logo, se o profissional não buscar conhecer um pouco da cultura da empresa, pode parecer overdressed para a oportunidade. Se for um banco ou empresa mais formal, faz sentido essa escolha de vestimenta, mas se não for, outra opção social mais leve pode ser um boa pedida.

Querer parecer mais jovem: depois dos 40, muitos profissionais ficam com receio de estar perdendo espaço para profissionais mais jovens, logo, podem querer compensar a idade com um look mais jovem. Claro, estilo não tem idade e cada um é livre para ter seu estilo, mas se for algo que fica forçado, pode passar uma imagem muito errada do candidato, especialmente se ele estiver desconfortável com a roupa escolhida, pois isso pode prejudicar até seu desempenho na entrevista.

Querer se mostrar fashionista: nesta faixa etária, o poder aquisitivo dos profissionais já está mais estabilizado e, por querer agradar e se diferenciar, existe um risco em querer usar de uma só vez todos os itens que estão em alta para ir até uma entrevista. Se mostrar atualizado é ótimo, mas misturar diversas tendências em um mesmo look na entrevista pode ser uma combinação infeliz. Aqui, a dica de que menos é mais cai super bem.

Candidatos acima dos 50

Conforto e nada mais: às vezes, uma roupa que é ok para vestir no dia a dia pode não ser a melhor escolha no momento da entrevista. Por mais que a roupa seja confortável, por poder estar mais batida ou desajustada ao corpo, a imagem que o profissional passa não é lá das melhores. Uma opção com caimento mais certo transmite a silhueta de alguém confiante, o que, claro, conta pontos positivos.

Tudo combinando: quando esses profissionais eram mais jovens, era moda usar peças coordenadas, como tom sobre tom ou mesmo um look monocromático. Não há nada de errado com isso, até porque essas tendência estão com tudo novamente, mas bom senso deve estar presente. Um candidato que vai até a entrevista com tudo combinando demais, pode transmitir a mensagem que ficou preso no tempo.

Guardar tudo nos bolsos: pode parecer um detalhe, mas também não pega bem. Profissionais mais maduros costumam ser bem prevenidos, levam consigo a carteira, documento do carro, chave do carro, lencinho para uma necessidade, bala de menta para um bom hálito, cartão de visitas em porta-cartões… e assim vai. Colocando tudo nos bolsos da frente e de trás. Com isso, podem acontecer duas coisas: o volume tira o bom caimento da roupa e prejudica a imagem e, na hora de se sentar, o candidato pode querer tirar algo dos bolsos para ficar mais confortável, invadindo a mesa do recrutador, o que nunca é recomendado. Então, uma mala de mão pode ser a melhor opção ou levar apenas o que é essencial, evitando esse volume todo de objetos nos bolsos.

O que faz uma copeira de cozinha?

Como se tornar um assistente social

Como se tornar um analista financeiro