Saiba como evitar a desidratação

* Elisabete Fernandes Almeida

Um atleta profissional ? forte, em boa forma e aparentemente em ótimo estado de saúde ? desmaia durante um exercício em um dia quente e nunca mais se recupera. A causa da morte é desidratação (hipohidratação), que ocorre quando o corpo não tem água suficiente para realizar suas funções normais. Apesar de ouvirmos falar de tais histórias de atletas que sucumbem no meio do campo, são casos raros. Por outro lado, milhões de pessoas no mundo inteiro ? crianças e adultos ? morrem de desidratação todo ano.

Além disso, uma desidratação leve ? como uma perda mínima de 1% a 2% do peso corporal total ? pode causar sintomas como fraqueza, tonteira e fadiga e, em longo prazo, provocar efeitos permanentes para sua saúde. A desidratação severa, usualmente definida como uma perda de 9% a 15% de seu peso total, é considerada emergência médica; e sua vida pode estar em risco.

Em termos simples, a desidratação ocorre quando você perde mais água do que consome. Até um pequeno desequilíbrio pode causar problemas sérios, uma vez que água é essencial para a vida humana. Ela constitui a base de todos os fluidos corporais, incluindo sangue, suco gástrico, entre outros, além de auxiliar no transporte, absorção de nutrientes e excreção.

A reversão da desidratação leve a moderada na maioria das vezes é simples, necessitando-se apenas de um aumento do consumo de fluidos. Mas nos casos mais graves, é necessário um acompanhamento médico. O melhor tratamento é a prevenção: não ficar desidratado. Observe suas perdas de fluidos diárias, principalmente em climas mais quentes, durante estados de doença ou exercício. E tenha certeza que está repondo corretamente a quantidade de fluidos que está perdendo.

Sinais e sintomas

Infelizmente, a sede não é um bom parâmetro para medirmos a necessidade de seu organismo pela água, principalmente em crianças e idosos. Um parâmetro melhor é a cor da sua urina: quase transparente ou com uma cor bem clara significa que está bem hidratado; amarelo forte ou uma cor escura usualmente significa desidratação. Outros sinais e sintomas variam, dependendo do grau de desidratação, que pode ser leve, moderada e severa.

Desidratação leve a moderada pode causar:

· Sede excessiva
· Sonolência ou cansaço ? crianças tendem a serem menos ativas que o normal
· Boca seca
· Menor volume de urina diário – menos que 6 fraldas molhadas por dia em crianças e mais de 8 horas sem urinar para crianças mais velhas e adolescentes
· Poucas ou nenhuma lágrima ao chorar
· Fraqueza muscular
· Dor de cabeça
· Tonteira

Causas

A perda média diária de um adulto é de 2,5 litros de água (mais de 10 copos de água). Essa perda ocorre pelo suor, respiração e outras funções fisiológicas do nosso corpo. Há também a perda de eletrólitos, minerais como sódio, potássio e cálcio, que mantém o equilíbrio dos fluidos no corpo. E isso tudo ocorre antes mesmo de você pensar em fazer algum tipo de exercício, como arrumar a casa, cortar a grama ou ir a uma academia.

Às vezes, mesmo estando ativo, você consegue repor o que perdeu através da comida e líquidos que consome naturalmente durante o dia. Mas algumas vezes você elimina mais água e sais do que consegue repor. O resultado é a desidratação. Pelo fato de a água constituir 60% do seu peso total, a sua falta pode causar alterações fisiológicas que afetam sua saúde, mesmo quando os sinais e sintomas clássicos ainda não apareceram.

Por exemplo, uma redução do volume de seus eletrólitos e fluidos normais resulta em uma diminuição do volume sanguíneo circulante. Conseqüentemente, o coração tem que bombear mais forte para manter um fluxo adequado dos órgãos vitais, sendo incapaz de ter um controle adequado sobre a pressão sanguínea ou sobre a distribuição de nutrientes e excreção.

Além disso, devido à redução do fluxo sanguíneo e à menor quantidade de água no organismo, a perspiração fica prejudicada, e a pessoa não consegue eliminar o calor do corpo da forma que devia. Em casos extremos, a temperatura sobe, o que pode causar uma exaustão por causa do calor excessivo ou até a uma condição de ameaça à vida, na qual a temperatura pode chegar a 40º C, podendo alcançar até 42ºC.

Como a desidratação ocorre:

Algumas vezes a desidratação ocorre por razões simples: você bebe menos água porque está doente, ocupado, ou apenas não tem sede, ou ainda não tem acesso à água potável quando está viajando ou acampando.

Outras causas de desidratação incluem:

· Diarréia
· Exercício
· Febre
· Aumento no volume urinário
· Viagens longas de avião
· Climas quentes
· Queimaduras

Prevenção

A prevenção da desidratação é simples: consuma líquidos e alimentos ricos em água, como frutas e vegetais. A verdadeira questão é o quanto devemos ingerir, e quais são mais apropriados. Infelizmente ainda não temos um cálculo exato para definirmos a quantidade de água que devemos ingerir por dia, até porque nessa conta entrariam inúmeros fatores muito particulares de cada um, como idade, condição física, nível de atividades diárias, região e sua fisiologia específica.

Entretanto, existem algumas regras. A mais familiar delas é a regra dos oito copos, ou seja, beber no mínimo oito copos de 225 ml de água por dia.

Uma idéia melhor pode ser o plano de reposição. A maioria dos adultos perde por volta de 2,5 litros de água por dia pela respiração, suor e excretas. A alimentação corresponde a 20% de sua ingestão diária de fluidos. Então, o consumo de 2 litros de água por dia (um pouco mais que 8 copos), mais sua alimentação diária normal, devem repor o que você perde por dia. O Instituto de Medicina Americano recomenda ainda mais ? 13 copos de líquidos por dia para homens e 9 para mulheres.

Talvez a melhor recomendação seja que você faça um esforço consciente de se manter hidratado e sempre escolher água como bebida. Isso significa beber água em todas as refeições e também nos intervalos, ao invés de café; e substituir o álcool por água com gás.

Essas regras são generalizações, e não consideram circunstâncias especiais como atividade física extrema, calor e umidade, gravidez, amamentação ou doença. Nestes casos, talvez você tenha que beber mais água.

Exercício. Em geral, o ideal é que você comece a beber água um dia antes de realizar exercícios mais extremos. A urina em grande quantidade, clara e diluída, é uma boa indicação que você está bem hidratado. Duas horas antes de um evento de resistência física como uma maratona, beba 2 copos de água. Um a 2 copos de água normalmente é suficiente antes de exercícios de curta duração. Durante a atividade física, reponha os fluidos a intervalos regulares, e continue a beber água após o término.

Meio Ambiente. É necessário ingerir mais água em climas quentes ou úmidos para ajudar a diminuir a temperatura corporal e repor a perda pelo suor. Em climas muito frios, é necessário um consumo extra de água se você estiver usando roupas impermeáveis. O ar aquecido em ambientes fechados pode ocasionar perda de água pela pele, aumentando a necessidade diária de água.

Gravidez ou amamentação. Mulheres grávidas ou que estão amamentando precisam de maiores quantidades de água para manter-se hidratadas e para repor a perda de fluidos. A recomendação é que mulheres grávidas bebam 10 copos de água por dia, e mulheres que estão amamentando bebam 13 copos por dia.

Doença. Comece a beber mais água ou uma solução oral de hidratação ao primeiro sinal de doença ? não espere que os sinais de desidratação apareçam. E por mais que pareça correto, tomar refrigerante ao invés de água não é correto, uma vez que essa
s bebidas contêm muito açúcar e pouco sódio para repor os eletrólitos.

* Elisabete Fernandes Almeida é escritora e editora médica, com especialização em Projetos de Educação Médica Continuada. É presidente da Latin-Med Editora Médica, editora médica da Conexão Médica, diretora do departamento de Educação Médica para Leigos da Associação Paulista de Medicina e atua em vários sites médicos.

Pratique a positividade para atrair boas energias neste ano

Quais profissões estarão em alta em 2018?

A Remuneração e a Comunicação