Aprenda a gerenciar colaboradores criativos adequadamente

Empresas que sustentam relações com colaboradores amigáveis ou fáceis de gerir terão crescimento ou sucesso comprometidos, tornando-se medíocres com o passar do tempo. Pode não parecer, mas o conflito é saudável e favorece a criação de uma ambiente de alto desempenho.

Além deste conceito, muitos gerentes esquecem de outro conceito básico de liderança, que é o de extrair a melhor contribuição possível do funcionário, independente das suas características, mantendo a satisfação do colaborador e agregando valor ao negócio.

Quando falamos de colaboradores criativos, o cenário pode se tornar ainda pior, pois, dependendo do perfil do negócio e da liderança, estes profissionais podem não ter os seus valores respeitados. A consequência é a queda da motivação, a falta de comprometimento e os problemas de relacionamento difíceis de serem contornados.

Visto isso, como podemos atuar para manter colaboradores criativos com um alto desempenho?

O primeiro ponto deve ser o incentivo sobre o seu diferencial produtivo: a criação! Assim como pais que curtem a bagunça de seus filhos, deve-se mostrar apoio à sua criatividade e incentivá-los a fazer o que imaginam, mesmo que possam vir a falhar.

Colaboradores criativos são experimentadores naturais. Como sabemos, a experimentação possui altos riscos associados, que podem até gerar custos, mas, com certeza, serão menores do que o de não inovar. Lembre-se, também, que se você deixar de reconhecer o potencial dos seus funcionários, provavelmente eles irão buscar isto em outra organização.

Envolva colaboradores criativos em trabalhos significativos. Profissionais inovadores tendem a ser visionários, com grande capacidade de enxergar a solução como um todo e entender porque o trabalho funcionará. O trabalho trivial, com menor significado, deve ser direcionado a colaboradores que se motivam por outros fatores como, por exemplo, a recompensa financeira.

Dê flexibilidade e liberdade ao trabalho a ser desenvolvido por pessoas criativas. Não crie estruturas e processos para o dia a dia destes funcionários. Implemente políticas que os permitam trabalhar remotamente ou em horário flexível e, principalmente, evite controlar o que, como e onde estão fazendo as atividades. Esta é a razão pela qual empreendedores se tornam infelizes quando permanecem no comando de seus empreendimentos, após terem sido adquiridos por uma empresa maior.

Colaboradores criativos buscam constantemente a mudança, mesmo quando é contraproducente. Eles buscam soluções diferentes para o trabalho todos os dias, mesmo que já tenham encontrado uma que atende as suas necessidades. Criativos adoram a complexidade. Por isso, é essencial que você surpreenda os seus funcionários criativos, sendo o menos previsível possível na apresentação das atividades.

Apesar de você ser capaz de gerenciar colaboradores criativos, isso não significa que eles terão ótimo desempenho para gerenciar equipes. Na verdade, os inovadores raramente possuem habilidades de liderança, pois os perfis são bem diferentes.

Pesquisas confirmam que os inovadores apresentam características que dificultam o desenvolvimento da sua liderança: eles tendem a ser rebeldes, antissociais, egocêntricos e, muitas vezes, não se preocupam com o bem estar dos outros. Mas, no fundo, todos são passíveis de novos aprendizados e com dedicação podem aprender e desenvolver essas habilidades fundamentais para o papel da liderança.

 

_

Sobre o autor
Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.

Devo contratar um estagiário ou profissional experiente?

Aproveite o feriado para pensar em sua carreira

5 dicas para o trabalho temporário virar efetivo