Sofrimento no trabalho após a volta do feriado? Algo pode estar errado!

Curtir o feriado e se sentir bem nestes dias de descanso e diversão é completamente saudável. Agora, se você voltou para o seu trabalho, sentou em sua cadeira e, ao pensar nas tarefas que tinha que executar, começou a sentir um vazio no peito, uma tristeza ou, até mesmo, um incômodo, saiba que algo pode estar muito errado na sua carreira.

Principalmente se este sentimento de tristeza ou insatisfação se sustenta durante as primeiras horas de trabalho após o retorno do feriado. Isto pode ser um sinal de que você não está sabendo lidar (ou, simplesmente, não quer lidar) com determinada situação no trabalho. Veja abaixo alguns sinais de que algo está errado:

 

1- Você deixou pendências para resolver após o feriado

Não se preparar para um feriado, evitando finalizar pendências importantes nos dias que antecedem a folga pode ser um ponto de atenção. Sair correndo para aproveitar o feriado, largando determinadas atividades profissionais e utilizando o pensamento “Na volta eu resolvo!”, é o mesmo comportamento de limpar a casa e jogar a sujeira para debaixo do tapete.

Este comportamento não te ajuda, pois tende a gerar ainda mais desgaste no seu retorno, além de te deixar no feriado com a sensação de que há pendências te esperando. Se isto acontece com você, perceba se é apenas um hábito nocivo que possui ou se o seu trabalho tem se tornado um fardo muito pesado. Será que você não tem feito de tudo para fugir dos problemas que o trabalho tem gerado?

 

2- Você evitou falar de trabalho durante todo o feriado

Este é outro sinal claro de que está na hora de você rever a carreira e o emprego que possui hoje. Evitar a todo custo falar de trabalho em momentos de diversão é um comportamento reforçado pela sociedade, mas que, no fundo, demonstra a nossa real insatisfação com o que fazemos. Afinal, se você ama o que faz, por que evitaria falar disso no feriado? Provavelmente porque você não gosta tanto assim o que faz, não se sente bem na empresa que trabalha ou talvez a sua liderança não te inspire a desenvolver o seu melhor trabalho. Este incômodo se reflete no quanto você fala sobre o seu trabalho. Pense por um instante: que tipo de trabalho, empresa ou liderança te faria sentir feliz e orgulho do que faz? Neste caso, você se limitaria em falar sobre isso nos feriados?

 

3- Você desejou que este feriado fosse mais longo ou que as suas férias chegassem logo

Se no último dia do feriado você está triste e não para de fazer as contas para a próxima folga ou para as suas férias, pode estar procurando situações para fugir dos desafios profissionais. Enquanto foca na sua próxima oportunidade de descanso, você não dedica a sua energia em resolver os problemas diários que são apresentados no seu trabalho. Mais uma vez você pode estar buscando uma folga para algo que te atormenta profissionalmente.

O que pode estar acontecendo, também, é que você entrou em um modo automático no seu trabalho. Você faz as mesmas coisas há muito tempo e a falta de objetivos e desafios na sua carreira torna a sua rotina profissional extremamente desinteressante. Isto também pode te desmotivar.

Perceba que existem sinais diferentes de que há algum problema na sua relação com o trabalho e que isto anda te desmotivando. Talvez seja a falta de uma visão clara sobre o seu futuro profissional, a falta de autonomia ou, até mesmo, a incapacidade de desenvolver um trabalho cada vez melhor devido à estrutura da empresa. Portanto, perceba que estes sinais podem aparecer por diferentes motivos:

  • Você se sente extremamente sobrecarregado no seu trabalho?
  • Você não se identifica com a empresa que trabalha?
  • Você tem problemas com algumas pessoas da sua equipe?
  • Você não possui objetivos na carreira e não busca novos desafios?
  • Você se sente limitado pela falta de oportunidades de crescimento?

 

Reflita sobre o que pode estar te afetando. Crie um plano de ação e atue sobre isso imediatamente. Lembre-se que empurrar estas questões que te incomodam para debaixo do tapete não é a solução mais saudável. Você tem passado por isso?

 

_

Sobre o autor
Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.

No trabalho, OUVIR pode ser mais importante do que FALAR

Empreender possui diversos formatos. Encontre o seu!

4 competências de atleta que os recrutadores buscam em candidatos