Você sabe “ligar” sua motivação profissional?

Às vezes ouço alguns profissionais dizendo que estão desmotivados e sem o ânimo necessário para executarem os serviços que são solicitados pelas suas empresas. Isto pode acontecer com qualquer pessoa e é mais comum do que imagina. Vale lembrar que a falta de motivação não é sinônimo de preguiça ou falta de caráter!

A motivação é soma de três componentes. Alguns fatores podemos produzir sozinhos, enquanto outros podem ser influenciados pelo ambiente de trabalho e pela cultura da empresa. Por isso, eu digo que a falta de motivação nem sempre é culpa do colaborador, mas pode ser responsabilidade da empresa, da estrutura organizacional ou da forma como a liderança conduz as equipes.

 

Os três fatores que formam a motivação

O primeiro fator da motivação é propósito, ou seja, você precisa ter um objetivo na sua vida profissional. O seu pode ser a conquista de uma quantia de dinheiro, a compra de algum bem, o crescimento profissional, a atuação em uma atividade profissional que gosta ou oferecer uma vida saudável e confortável para as pessoas que ama. Não importa o objetivo, mas sim que tenha um cenário futuro desejado. Isto fará você seguir em frente e enfrentar os desafios profissionais diariamente.

 

O segundo fator é a autonomia, ou seja, a capacidade de executar as suas atividades profissionais com certa liberdade, principalmente tendo a possibilidade de tomar decisões por conta própria. Nos primeiros dois ou três anos de carreira é normal termos pouca autonomia na execução das nossas atividades, mas quando estamos em fase de aprendizado isto não afeta tanto nossa motivação. Porém, quanto mais experiente se torna, mais a falta de autonomia interfere

 

O terceiro fator (e não menos importante) é a sua disponibilidade para executar o seu trabalho cada vez melhor, em busca da melhoria contínua e da excelência. Neste caso, se você não elevar as suas habilidades e competências, você não será capaz de fazer o seu trabalho cada vez melhor e perderá a sua motivação. Por outro lado, se a sua empresa não oferecer um ambiente desafiador, te apoiar e incentivar a extrair o seu melhor, você também terá a sua motivação afetada.

 

Como acionar a motivação no trabalho

Visto os três fatores essenciais para a motivação, podemos, então, identificar uma fórmula para “ligá-la”:

 

  1. Você precisa pensar em um objetivo para a sua vida profissional. Defina um que tenha o desejo de alcançar e que poderá obtê-lo através do trabalho ou da renda que a sua profissão gera;
  2. Você precisa buscar certa autonomia nas suas atividades profissionais, negociando com a sua liderança ou buscando a autonomia em atividades que não são afetadas pela cultura organizacional;
  3. Você precisa entrar em um estado de melhoria contínua. Não se conforme o que já faz bem. Busque melhorar um pouco a cada dia, identificando cursos ou processos de desenvolvimento que possam te ajudar.

 

Alinhamento de valores é a chave principal para manutenção da motivação

Ainda há um quarto fator que pode minar a sua motivação, independente de ter os três fatores acima atingidos. O mais importante é o alinhamento entre os seus valores pessoais e os organizacionais. De nada adianta você ter um objetivo e autonomia e buscar a excelência se estiver em um ambiente que os seus valores pessoais são atacados. Para exemplificar: se você é uma pessoa honesta, terá a sua motivação destruída se perceber que empresa possui comportamentos antiéticos e que a liderança não age de acordo com as leis.

Portanto, não conseguirá “ligar” a sua motivação se estiver em uma empresa com valores diferentes do seu. Nestes casos, é necessário trocar de ambiente profissional. Sim! Será necessário encontrar uma empresa que tenha os mesmos valores que você e, em seguida, acionar os três fatores da motivação. Assim, talvez, você experimente um estado de produtividade, realização e felicidade no ambiente profissional que te fará sentir saudade do trabalho durante as suas férias.

 

_

Sobre o autor
Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.

Como superar a transição da universidade para o trabalho

Aprenda a gerenciar colaboradores criativos adequadamente

3 formas de potencializar sua carreira com o dinheiro do…