Sou líder na era digital. E agora?

Durante os últimos anos temos presenciado uma revolução tecnológica que permitiu a democratização do conhecimento. Chegamos numa era onde a informação está disponível gratuitamente para a grande maioria das pessoas. Esse é um dos fatores que condicionaram as novas gerações formadas por pessoas mais inquietas, conscientes e imediatistas. Essa é a realidade dos consumidores e funcionários do novo mundo digital.

E para aqueles que lideram as equipes formadas por esta nova geração? Quais são os novos desafios para liderar nesta nova era repleta de incertezas e hipóteses? Como liderar as equipes com várias gerações e mindsets distintos?

O líder precisa se reinventar para conseguir entender a equipe além das capacidades técnicas. Os impactos desta nova liderança são a médio e longo prazo mas são mais sustentáveis dada a nova realidade. Para que possa se reinventar destaco algumas dicas para esta nova era da liderança

 

Líder “em construção”

Considere-se sempre uma versão inacabada. Ser um líder, principalmente na nova era, é uma “arte” de interpretar os “sinais” dos liderados. Treine, estude e observe. A construção das nossas habilidades não é só formação acadêmica, mas também leitura de um livro, artigos ou ver uma palestra de um líder inspirador. Não deixe de dedicar tempo de qualidade para o seu autodesenvolvimento. Ser um bom líder começa pela sua auto liderança.

Líder Humano

O novo líder precisa ter novas habilidades mais relacionadas com as questões Humanas do que com as questões técnicas. Precisa aprender sobre negociação e inteligência emocional para que possa motivar a equipe e influenciar rumo à estratégia da organização. Ser um líder mais Humano significa ser mais genuíno e próximo do Ser Humano que está por trás do cargo.

Líder inovador

Além de necessitar estar conectado com novos métodos e tecnologias inovadoras, o líder precisa incentivar a inovação junto da sua equipe. Isso significa que precisa permitir que a equipe teste novos métodos ou tecnologias e, caso não alcance o resultado esperado, entender que o teste foi aprendizado e não um erro.

Líder da diversidade

A mistura de gerações e perfis é uma realidade. Aproveite o melhor de cada uma das gerações para potencializar o resultado. Por exemplo, canalize a inquietude de alguns para a implementação das soluções mais arrojadas ou aproveite a experiência para os processos de validação de qualidade. O fato é que esses perfis vão e devem coexistir para que possa formar equipes pluridisciplinares não só do ponto de viste técnico e de negócio como também de atitude e comportamentos.

 

Estas são algumas das dicas simples para que possa se tornar um novo líder. Existe uma última dica que está relacionada com uma característica antiga de um líder mas que várias vezes é esquecida em todas as áreas da nossa sociedade. O líder pelo exemplo. Ficamos inseguros e muitas vezes focados na aparência para que o nosso lugar não fique em risco. A necessidade de presença nas redes sociais é representativa dessa atitude. No entanto esquecemos que a nossa capacidade de influência vai muito do modo como agimos e nos comportamos. Dar o exemplo é um modo de influenciar e consequentemente liderar. Isso se aplica em qualquer função dentro da sociedade.

 

Carlos Baptista é Co-fundador da A & B Consultoria e Desenvolvimento Humano, empresa que desenvolveu o “Modelo Ágil Comportamental”. Executivo de TI, com mais de 30 anos de experiência em tecnologia. Trabalhou na área de serviços financeiros para bancos comerciais em Portugal e Brasil. Atua como consultor estratégico e mentor. Apaixonado por inovação e ajudar no desenvolvimento das pessoas, compartilhando as experiências e aprendizados da sua vida de executivo em grandes organizações. .

Contato: carlos.baptista@andradebarros.com.br

 

 

Medos que impedem de se candidatar à uma vaga e…

O networking até mesmo no elevador!

O que é Microgerenciamento e quais seus impactos para o…