Do ódio à maturidade: somos todos brasileiros!

O Brasil hoje vive uma crise generalizada: econômica, social, política, de valores. Todos nós fazemos parte dela, independente do papel que assumimos ou do partido que escolhemos. E precisamos ter cuidado, pois a nossa postura pode piorar ainda mais a situação em nossa volta.

Tenho presenciado discussões nas redes sociais, sem contar nas brigas durante algumas manifestações. É um sentimento de ódio em relação às pessoas, por fazerem parte de diferentes grupos, diferentes partidos ou forma de pensar e se posicionar.

Aconteceu inclusive algo comigo. Por pouco não houve desavença com pessoas queridas, por termos diferentes opiniões. No meio do caminho nos demos conta e paramos para ponderar e nos respeitar. Escolhemos colocar o carinho e admiração pelo outro em primeiro lugar.

Precisamos exercitar a nossa maturidade e humanidade para que as coisas não piorem, para nos preservarmos como seres humanos. É essencial a liberdade de pensarmos diferentes e podermos nos abraçar e nos unirmos por uma causa maior.

Ken O’Donnell, consultor internacional no campo do desenvolvimento humano e, uma pessoal especial em minha vida, com quem tive a oportunidade de realizar um trabalho voluntário, é importante referência no meu livro “O Segredo do Sucesso é Ser Humano”. Ele faz a analogia do ser humano com o coco, afirmando que temos duas identidades. Uma representada pela casca (ego), conjunto das experiências que adquirimos ao longo da vida, uma identidade superficial que não é a expressão do verdadeiro “eu” e, sim, uma máscara com a qual nos identificamos; é nessa casca que habita as nossas diferentes escolhas e opiniões, o nosso posicionamento no mundo. A outra identidade, representada pela parte que tem valor nutritivo e está no interior do coco, são nossas qualidades inatas, os nossos valores.

É fundamental olharmos para nós mesmos e identificarmos essas qualidades, o que temos de bom e nutritivo por dentro da nossa casca de egoísmo e de aparências, para podermos perceber o quanto de valor existe também nos outros e podermos nos abrir para o mundo. Assim, poderemos interagir com o outro, sermos gentis e solidários, ajudarmos com um simples sorriso, com nosso bem-estar e felicidade, mesmo diante de diferentes opiniões. É a atitude de encontrarmos o que temos em comum. Exercitar a teoria do coco em nosso dia a dia é praticar a empatia, é entender que o outro pode e tem o direito de pensar diferente de nós.

Em relação ao momento que estamos vivendo, no fundo, todos nós queremos o mesmo para o nosso Brasil, queremos vida e bem-estar em nossa Nação. Queremos ver a prática dos valores em cada esquina por onde passamos, em nossa casa, em nosso trabalho.

É necessário reacender o espírito humano adormecido, mas ainda vivo e possível em todos nós. É a partir dele que vamos construir um Brasil melhor. Independente de partido e posicionamento, vamos nos unir para construirmos o Brasil que merecemos. Está em nossas mãos e cada um é responsável por isso.

Abraços afetuosos!

Susanne Andrade é escritora, coach e palestrante. Sócia-diretora da Andrade & Barros Consultoria. É voluntária no Grathi. Leciona disciplinas sobre comportamento humano, gestão de pessoas e coaching em diversos MBAs da FIAP. Facilita grupo de estudo na ABRH-SP sobre a “humanização das relações para a conquista de resultados organizacionais”, cujo tema escreve também em seu blog, em susanneandrade.com.br. Responsável pelo “Canal Humanizar” do youtube sobre vida e carreira. É autora do best-seller “O Segredo do Sucesso é Ser Humano”. Contato: susanne@andradebarros.com.br

 

Planeje-se (de verdade!) para alcançar o sucesso em 2020

4 dicas para se dar bem em processos seletivos em…

Como montar um bom currículo?