Transformando dificuldades em oportunidades

Colunista: Marcelo UlissesEm dezembro de 2012 foi publicada a portaria 3.233 do Ministério da Justiça, instrumento legal através do qual o Departamento de Polícia Federal regulamenta a atividade de segurança privada no Brasil.

As mudanças no ambiente legal geram clima de tensão e ansiedade no meio empresarial, pois segundo especialistas em Marketing Estratégico, podem alavancar empresas ou levá-las ao fracasso. Entretanto profissionais que atuam no segmento privado de segurança devem aprender a raciocinar e agir com competência nos momentos mais críticos, analisá-los e processá-los, transformando a crise em oportunidade.

O termo crise tem seu radical etimologicamente identificado no sânscrito “cri”, que significa renovação. Portanto todo momento de crise é um momento de mudanças, capaz de alavancar profissionais e empresas tirando os mesmos da zona de conforto.

Prepara-se é fundamental, sendo assim, o momento de definir os primeiros passos rumo à adaptação à legislação é agora. A nova portaria tem, entre outros, o objetivo de proporcionar “o aprimoramento técnico dos profissionais de segurança privada; e estímulo ao crescimento das empresas que atuam no setor” (Art. 1º,§2º IV e V, respectivamente) e isto não pode ser desprezado, mas valorizado, porque orienta para o aperfeiçoamento de todos. Foram regulamentados, incluídos na grade curricular e valorizados assuntos como o Uso progressivo da Força, que tem como base Resoluções da ONU, além de ser criado o curso de Extensão em Segurança para Grandes Eventos, representando uma das fases preparatórias para a atuação das empresas no interior dos ginásios e estádios de futebol em eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas.

Cabeça nas Nuvens e Pés no Chão

Traçar objetivos é o primeiro passo, entretanto os planos na vida profissional não têm valor se não forem colocados em práticas, executados e realizados. Ter a cabeça nas nuvens não é um erro, pois os sonhos nos impulsionam e expandem nossos horizontes, entretanto os pés devem estar no chão. Ter os pés no chão é trazer para a terra as metas para alcançar os objetivos traçados, alicerçando-os de forma concreta, definindo custos e prazos.

Planejando Metas com Auxílio de Ferramentas da Qualidade

É possível usar como exemplo a exigência legal e aplicar a ferramenta da qualidade 5W2H, entendendo que para atuar nos eventos (tão próximos) de 2014 e 2016 as empresas especializadas em segurança deverão ter profissionais com um curso específico de 50 horas, sendo assim seus gestores deverão planejar em parceria com os setores de RH e financeiro o aperfeiçoamento de suas equipes. Por outro lado, os profissionais que estão ingressando no mercado devem apresentar vantagens competitivas preparando-se para os processos de recrutamento e seleção, investindo em cursos que além de agregar conhecimentos e expandir seu campo de atuação desoneram as empresas contratantes, que não necessitarão enviá-lo para curso nas escolas de formação após a admissão. Todos deverão definir o quê fazer, como, onde, quando, porque e quanto custa, planejando os próximos passos. A única diferença é o quem fazer, que no caso das empresas será definido através de processos internos de avaliação do desempenho e para os candidatos externos não apresenta outra opção, além de ser pró-ativo e tomar a iniciativa.

Expectativas para longo prazo

Profissionais de segurança, sejam vigilantes ou gestores, devem ficar atentos aos movimentos na legislação, na economia e na sociedade, pois estes três elementos dialogam gerando novas demandas uns para os outros. Veja o que ocorreu com o advento do Plano Real. Ele provocou mudanças econômicas imediatas, trazendo a reboque alterações no comportamento social e legislação, gerando maior atenção aos direitos do consumidor, modificando a forma como os bancos atendiam seus clientes e admitiam seus profissionais e, a longo prazo, abrindo as portas do país para a competição com o exterior, exportando, mas também importando talentos. A existência de um projeto para a atualização da regulamentação federal (hoje a lei 7.102/83) poderá abrir portas para profissionais com curso tecnólogo de Gestão da Segurança, que hoje é vantagem para candidatos a cargos de liderança e poderá tornar-se obrigação.

Calce as Sapatilhas.

Dois caçadores estavam em uma floresta, quando sai de traz de uma moita um leão. Os dois começam a correr desesperadamente, ganham distancia,quando um deles pára, retira as botas pesadas e saca da mochila uma sapatilha de pregos, especial para corrida. Quando vê esta cena, seu colega pergunta: — Para quê as sapatilhas? …você acha que com elas vai correr mais do que o leão? Calmo e sereno o outro responde: — Eu não preciso correr mais do que o leão, só preciso correr mais do que você.

No mercado de trabalho vivemos tempos de mudanças, portanto prepare-se! Calce as sapatilhas e saia na frente! Transforme momentos crise em oportunidades!

Planeje-se (de verdade!) para alcançar o sucesso em 2020

4 dicas para se dar bem em processos seletivos em…

Como montar um bom currículo?