Expressão requer consciência

Colunista: Heloísa CapelasSempre que buscamos uma transformação, seja ela pessoal ou coletiva, necessariamente recorremos à nossa capacidade de expressão. Você já observou a maneira como manifesta suas emoções?

O exercício coletivo da liberdade de expressão, nas recentes manifestações do povo brasileiro, trouxe à tona muitas reflexões. Além das questões políticas e sociais, outro aspecto merece atenção. Afinal, o que diferencia aqueles que protestam pacificamente, dos que usam de violência e, ainda, dos que ficam passivos diante de tantos acontecimentos?

O comportamento dos manifestantes nos mostra por que é tão importante observar a maneira como estamos habituados a nos expressar. Afinal, sempre que buscamos uma transformação, seja ela pessoal ou coletiva, necessariamente recorremos à nossa capacidade de expressão para concretizar essa meta.

Observe então que, seja nas ruas, no trabalho, na escola ou no convívio com amigos e familiares, cada um de nós tem sua própria maneira de agir, falar, pensar e, enfim, se relacionar. Isso porque somos todos seres relacionais, ou seja, vivemos porque nos relacionamos. Sendo assim, estamos sempre em busca de reconhecimento e apreciação – e o fazemos a partir da expressão.

A verdadeira reflexão para a qual chamo a atenção é que tanto a agressividade como a passividade com que manifestamos nossos anseios são reflexos do que aprendemos na infância. E, mesmo absorvidos há tanto tempo, esses comportamentos nos aproximam ou afastam das pessoas com quem nos relacionamos. No entanto, é importante lembrar que todo comportamento aprendido pode, sim, ser modificado para que se possa conquistar maior bem-estar.

Por relações melhores

Manifestações à parte, proponho a você, então, que analise como exprime suas emoções. Meu convite é para que saia do piloto automático. Como? Bem, o primeiro passo é a auto-observação. Olhe para si mesmo sem julgamentos, sem críticas. Enxergue-se de forma isenta e perceba quais dos seus comportamentos trazem resultados positivos e quais o levam a confrontar, repetidamente, situações negativas. Assim, começará a obter as informações de que precisa para mudar e manifestar suas vontades de forma mais saudável e assertiva.

Isso porque, ao desenvolver o autoconhecimento, você compreenderá que é constituído por sua própria história, ou seja, traz em si a reunião dos seus pensamentos, emoções, crenças e verdades. Por isso, naturalmente, seus gestos, movimentos, palavras e ações revelam quem e como você é.

Então, uma vez que tiver consciência profunda e sincera sobre si mesmo, poderá rever a maneira como se coloca dentro das relações. Observe: como você expressa raiva? E tristeza? Alegria? Empolgação? Mais que isso: ao agir dessas maneiras, quais resultados você obtém de quem está ao seu redor?

Como disse anteriormente, muitas das respostas que encontrou têm origem na sua infância. Afinal, ainda pequeno, você recebeu de seus pais, familiares e cuidadores uma ‘cartilha’ recheada de informações sobre como agir diante de cada situação. Não me refiro às orientações expressas que lhe foram ensinadas – ou seja, instruções como “isso deve” e “isso não deve”. Falo sobre os contextos, situações e influências vivenciadas no passado que até hoje o acompanham.

Perceba que as lições absorvidas emocionalmente e inconscientemente na infância fazem com que você seja quem e como você é agora. Algumas, evidentemente, têm trazido sucesso à sua trajetória. Outras, ainda que repassadas a você com muito carinho, podem não se aplicar ao que busca para a sua vida e, ainda por cima, causam sofrimento. Cabe a você descobrir quais dessas lições devem ser descartadas e, principalmente, o que pode e deve ser modificado na sua forma de expressão.

Esse processo de reflexão trará consciência sobre a maneira como se comunica. A expressão realizada de forma consciente lhe trará maior segurança para que possa aprimorar a maneira como se relaciona consigo mesmo e com tudo o que o cerca. Como resultado, você dará início a uma bela jornada de sucesso e plenitude nos seus relacionamentos.

Caso encontre dificuldades ao longo do caminho, faço um convite. Acabo de lançar o Curso de Autoconhecimento Online e gratuito e gostaria que você participasse. Para acompanhar as quatro vídeo-aulas, basta acessar o site www.cursodeautoconhecimento.com.br. Te espero por lá.

Heloísa Capelas é especializada no desenvolvimento do potencial humano por meio do Autoconhecimento e do aumento da Competência Emocional há mais de 20 anos. Conferencista nacional e internacional, aplica cursos com a metodologia Hoffman, considerada por Harvard um dos trabalhos mais eficazes de mudança de paradigmas para líderes. É diretora do Centro Hoffman no Brasil. Autora do eBook “7 Passos Para o Autoconhecimento – Informação, Consciência e Transformação” e coautora dos livros “Ser + Inovador em RH”, “Ser + em Gestão de Pessoas” e “Master Coaches – Técnicas e relatos de mestres do coaching”. Para falar com a especialista, escreva para heloisa@centrohoffman.com.br. Visite também: www.centrohoffman.com.br e www.heloisacapelas.com.br.

Eu lancei um curso sobre felicidade mesmo em meio à…

Aqui estão quatro aspectos inovadores sobre… Inovação!

Planejar seu tempo aumenta a produtividade