Gerente de RH da Mary Kay fala sobre conquista de melhor empresa para trabalhar

Marcelo Lázaro, gerente de RH da Mary KayCom presença há mais de 15 anos no Brasil, a Mary Kay, empresa de venda direta de cosméticos, conquistou recentemente o prêmio de uma das “Melhores Médias e Pequenas Multinacionais para se Trabalhar”, por meio do Great Place to Work, instituto que avalia o índice de confiança dos colaboradores com o ambiente de trabalho e as melhores práticas de gestão de pessoas.

Hoje, a empresa possui 230 funcionários instalados no escritório administrativo, e mais de 200 mil consultoras de vendas espalhadas por todo o país. No mundo, são mais de 3 milhões de representantes!
Para contar um pouco sobre as ações realizadas, conversamos com o gerente de RH da Mary Kay, Marcelo Lázaro, que também nos mostra como os valores e cultura da organização impactam no dia a dia de seus profissionais.

O que fez a Mary Kay estar entre as melhores do GPTW em 2013?
Nos últimos tempos tivemos um forte crescimento da empresa como um todo, inclusive do RH. Atualmente temos um processo de gestão de pessoas muito sólido, e sistemas de avaliação de desempenho com envolvimento de todos os líderes. Oferecemos também um plano de sucessão e meritocracia bem interessantes, além da implementação clara dos valores e da cultura da empresa.
Pregamos bastante o respeito pelo indivíduo, fazendo com que as pessoas de sintam importantes. Isso gera um ambiente de trabalho muito prazeroso para todos!

Hoje a qualidade de vida está muito ligada a ser uma boa empresa para trabalhar. Que ações a Mary Kay promove neste sentido?
Temos um programa que leva o nome Qualidade de Vida, e também ações pontuais, como frutas oferecidas duas vezes por semana aos funcionários, ginástica laboral diária, equipe de corrida e um grupo de futebol – com aluguel de quadra e oferecimento de material esportivo.
Oferecemos também um programa de saúde e segurança do trabalho, com exames periódicos e massagem disponível diariamente. Também nos preocupamos bastante em oferecer um ambiente seguro na empresa.

A Mary Kay é uma empresa que fala diretamente com as mulheres. De que maneira isto impacta no estilo de gestão de pessoas da organização?
As mulheres aqui são a maioria, e nossa missão como força de vendas é melhorar a vida das mulheres. Com certeza isso acaba influenciando em nosso ambiente interno.
A Mary Kay foi criada por uma mulher, a Mary Kay Ash, que foi uma sonhadora para a época (década de 1960). Nossos pilares são fé, família e empresa, e que também são importantíssimos para as mulheres em especial.

A Mary Kay é uma empresa familiar. Este DNA influencia na preocupação com o bem-estar e qualidade de trabalho dos profissionais?
A presença da família da fundadora se dá pela atuação do neto dela, que é um alto executivo da empresa, e que atua mais como um acionista do que como protagonista da operação como um todo.
Como um dos valores da empresa é valorizar a família, isso influencia muito no modo de pensar e agir da nossa gestão. Desde os processos seletivos deixamos claro que respeitamos bastante as particularidades dos indivíduos e suas relações com as respectivas famílias, e isso impacta positivamente também.

Como funciona o plano de carreira das consultoras?
Oferecemos uma carreira independente para nossas consultoras. No momento que elas iniciam as vendas, existem algumas regras que as direcionam para ascensão na carreira independente. Elas podem virar diretoras de vendas independentes ou até mesmo diretoras nacionais de vendas independentes no modelo das vendas diretas.

Desde 1984 vocês vêm sendo lembrados como uma boa empresa para trabalhar, isso nos Estados Unidos (matriz). Como adaptar a filosofia da Mary Kay para diferentes realidades, como o Brasil?
O crescimento da atuação da empresa no Brasil vem sendo muito grande, mas que também nos traz muitos desafios. Manter a cultura e os valores da matriz depende de alguns fatores. Um deles é a liderança, que deve ser bem capacitada, a fim de garantir que todas as ações sejam calcadas na filosofia da Mary Kay. Uma gestão engajada é fundamental.
Outro ponto é contratar profissionais que se identifiquem com a filosofia da empresa, pois isso facilita qualquer adaptação. Temos o Comitê de Cultura, que promove ações para disseminar cada vez mais os valores da empresa e fazer com que cada funcionário se sinta importante.

Em 2011 a Mary Kay lançou o Mês Global do Voluntariado. Como isso funciona?
A Mary Kay tem um instituto mundial, fundado pela Mary Kay Ash, e este é um projeto que foi expandido para todos os países. Determinou-se um mês do ano para executarmos algumas atividades ligadas ao voluntariado. No Brasil, nós já reformamos uma escola, doamos o valor da compra de um tipo de batom para instituições carentes (com papel importante também das consultoras), e doamos roupas constantemente.

Emprego novo no final de ano? É possível!

Evento gratuito sobre a importância da formalização de PMEs

CEO da Just Digital faz palestra online