SP Arte 2011

A SP Arte 2011 – Feira internacional de Arte de São Paulo – chega a sua 7º edição com uma estimativa de mais de 16 mil visitantes e mais de 2500 obras em exposição. Confira!
[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=3Wj6G-nhCd0[/youtube]
 
A SP-ARTE 2011 – Feira internacional de Arte de São Paulo – chega a sua 7º edição com uma estimativa de mais de 16 mil visitantes e mais de 2500 obras em exposição. O evento aconteceu de 12 a 15 de maio, no Pavilhão da Bienal do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, e reuniu expositores de 8 estados brasileiros e 7 países. A intenção da feira foi promover a arte moderna e contemporânea no Brasil, incentivar a visitação do público e ajudar na formação de uma nova geração de colecionadores e apreciadores de arte no país.
“O mercado de arte é um pouco hermético, no entanto, a SP – ARTE possibilita ao público em geral observar todas as tendências de artistas brasileiros internacionalmente reconhecidos”, observou Jones Bergamin – Diretor da Bolsa de Arte do Rio de Janeiro.
Além de reunir as mais representativas galerias do Brasil e do exterior, a SP-Arte realizou ciclos de palestras que visaram disseminar a reflexão e a compreensão sobre os mecanismos que atuam no mercado de arte.
“Apesar do mercado de arte não ser uma coisa nova, nos últimos anos, ele tem crescido muito no Brasil e no exterior. A globalização tornou a arte contemporânea muito mais vista por todos, mundialmente reconhecida e de grande interesse da população, ou seja, com o crescimento do mercado de arte, no Brasil e no mundo, a procura por profissionais dos mais diversos níveis e as oportunidades de trabalhos também cresceram em igual proporção”, disse o presidente do Conselho da Pinacoteca de São Paulo, Marcelo Secaf.
“A arte está em alta no Brasil, sendo assim vale a pena fazer uma carreira nesse mercado que gira milhões por ano”, falou a Adriana Damiani, do stand da Associação de Arte Contemporânea do Brasil.
“Falando das pessoas que prestam serviços e trabalham em uma galeria de arte, o mercado ainda não é muito especializado. Não existem muito cursos de curadoria, de produção ou faculdades que formem profissionais específicos para trabalharem nesse setor, mas eu acredito que esse panorama vai mudar, já que o mercado de arte só cresce a cada ano e movimenta uma grande quantidade de recursos”, observou Eduardo Saretta, sócio da Galeria Choque Cultural.
No site da Catho, em 16 de maio de 2011, havia mais de 3900 vagas para as áreas de Artes/Arquitetura e Designer. Ao todo são mais de 230 mil vagas de emprego para todo o Brasil.

#MáscaraSalva | Máscara Inclusiva para deficientes auditivos

Impactos da pandemia na geração de empregos

5 áreas em alta que estão contratando mesmo na crise