O Portal Carreira & Sucesso é uma publicação digital da Catho. Aqui você encontra informações relacionadas ao mercado de trabalho, que irão auxiliá-lo em seu desenvolvimento profissional.

11/09/2017 - Setembro Amarelo, para que e para quem

Autor: Flávia Souza

Você sabia que a depressão é a segunda maior causa de afastamento do trabalho no Brasil? Em 2016, as licenças relacionadas a transtornos mentais chegaram a 37,8%, ou seja, um total de 75,3 mil trabalhadores foram afastados de seus cargos.

Também conhecida como mal do século, a depressão se caracteriza por um longo e intenso período de tristeza e, ao contrário do que muita gente pensa, essa doença não é causada por um único motivo ou evento, mas sim por diversos fatores que podem acumular com o passar do tempo. Por isso, não é incomum que um ambiente profissional estressante esteja diretamente ligado ao surgimento dessa doença.

Casos cotidianos de estresse, ambiente hostil, cobranças, metas e situações adversas, tudo isso contribui para o surgimento de um quadro de negatividade, insatisfação, tristeza e ansiedade, que pode rapidamente evoluir e se tornar uma depressão. Infelizmente, quando o problema é notado, ele já está em um estágio avançado e é necessária a prescrição de uma medicação para o tratamento.

Por isso, é indispensável que você esteja atento aos sinais e se pergunte: “estou me cobrando demais?”. Uma das principais causas da depressão no ambiente de trabalho é a determinação de metas e prazos impossíveis de serem cumpridos, o que pode gerar insatisfação e baixa autoestima, por sentir que não é capaz de realizar tal tarefa, e é daí que vem a importância de reconhecer seus progressos e saber admitir suas dificuldades. Além disso, não podemos hesitar em colocar a nossa saúde em primeiro lugar.

Também não se esqueça de olhar com atenção especial para aquele colega de trabalho que tem estado desmotivado e triste, ele pode estar precisando da sua ajuda. Saiba como reconhecer os sintomas da depressão, que podem ser tanto físicos, quanto mentais:

  • Alterações no sono: dormir mais ou menos que o normal;
  • Ansiedade e Angústia;
  • Dor de cabeça;
  • Baixa autoestima;
  • Perda ou aumento de apetite;
  • Pessimismo;
  • Procrastinação e falta de interesse/motivação;
  • Diminuição na produtividade, tanto no trabalho, quanto em tarefas pessoais;
  • Dificuldade de concentração em tarefas simples;
  • Isolamento social.

 

Por fim, a depressão também pode ser identificada através da ideação suicida, que significa nada mais do que o desejo de se matar e a constante reprodução mental de representações sobre como fazer isso. Quanto a esse aspecto, é importante citar que, segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), 883 mil pessoas cometem suicídio no mundo a cada ano.

Pensando nisso, o Centro de Valorização da Vida (CVV), em conjunto com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) criaram o Setembro Amarelo, uma campanha que tem como objetivo conscientizar e alertar a população sobre a realidade do suicídio no Brasil. Por isso, reunimos aqui 3 dos principais mitos sobre o suicídio com a intenção de revelar a verdade por trás desse ato.

  1. Quem tem o desejo de se matar não avisa. Pessoas que falam em suicidar-se querem apenas chamar a atenção.
    Essa não é uma afirmação sensata! Muito pelo contrário, a maioria das pessoas que pensa em cometer suicídio comunica algum tipo de mensagem sobre a sua intenção e desejo de se matar. Sempre leve a sério quando uma pessoa ameaçar fazer mal para si mesma.
  2. Falar sobre o suicídio pode fazer com que aumente os riscos de uma pessoa se matar.
    Outro mito sobre o suicídio. Conversar com uma pessoa que tenha tendências suicidas pode fazer com que ela se sinta acolhida e com que seu desespero diminua, aliviando sua angústia e tensão.
  3. Um sinal de melhoria significa que a pessoa está fora de perigo.
    Muito pelo contrário! Um dos momentos mais críticos é o de recuperação, nesse período, é necessário estar atento a qualquer sinal de recaída.

 

O Dia Mundial de Prevenção do Suicídio aconteceu nesse último domingo, dia 10 de Setembro, mas é importante lembrarmos de estar sempre atentos aos sinais! A depressão e o suicídio não tem data marcada para acontecer, mas você pode estar à disposição para ajudar quem precisa o ano todo!

 

Leia mais sobre: