O Portal Carreira & Sucesso é uma publicação digital da Catho. Aqui você encontra informações relacionadas ao mercado de trabalho, que irão auxiliá-lo em seu desenvolvimento profissional.

27/07/2012 - Blog Pessoal: ter ou não?

Autor: Samara Teixeira

Blog PessoalCada vez mais executivos estão criando blogs pessoais como forma de interação com os clientes e a opinião pública, porém, é necessário ter alguns cuidados na web e criar pautas que agreguem conhecimentos e valores aos leitores. Os blogs são  importantes para começar um site na Internet e, também, é uma maneira divertida e indispensável para aumentar a presença no mundo virtual.

Para Leila Rego, escritora e blogueira, diferente de um site, o blog pessoal é dinâmico, vivo, interativo e continuamente atualizado. Se o conteúdo é cheio de valor, as pessoas automaticamente irão seguí-lo e voltarão sempre que for publicado um novo artigo. Desta forma é possível se tornar mais conhecido no mercado, fazer um networking interessante e também estar atualizado.

As vantagens de um blog são as facilidades de divulgação de um produto, o compartilhamento de opiniões e novidades e o retorno imediato das ações. Segundo Marie-Josette Brauer, doutora em Filosofia e Psicologia e presidente-fundadora do Innovation Coaching Center, “um blog agrega valor criando uma presença na Internet por meio desta ferramenta, a pessoa estará criando uma marca que vai identificá-la e vai aumentar sua credibilidade”, explica.

Como estratégia sempre será uma vantagem, porém, é bom lembrar que ele deve estar sempre atualizado, com conteúdos que sejam de interesse do público-alvo em questão, “textos curtos, vídeos, fotos, enquetes e infográficos dão dinamismo ao conteúdo. Evitar erros de Português também é fundamental,” explica Renata Galvão, diretora da Empreiteira Digital, empresa que cria e executa estratégias de Marketing na Internet para personalidades da mídia e empresas.

As desvantagens estão relacionadas a exposição demasiada de assuntos pessoais, expressar de forma errônea um determinado tema e o, principal, a possibilidade de invasão por hackers. O grande receio dos executivos em ter um blog pessoal está na repercussão, “apesar de serem extremamente prudentes e acharem que não deixarão nenhum rastro que possa impactar a reputação, não há a menor chance de controlar o que os outros vão escrever ou postar sobre uma publicação”, explica Brauer.

Muitos executivos usam  pseudônimos para evitar problemas diversos, mas, é bom se perguntar se conseguem realmente manter o anonimato na Internet. Para Marcelo Maron, diretor executivo do Grupo PAR, consultor e palestrante, “os executivos gostam de se sentir como semi-deuses e a exposição traz a tona o lado humano. Por isso a resistência de vários deles com blogs pessoais e redes sociais. Que fique claro que expor o lado humano não é ter sua privacidade aberta para o mundo. Há uma grande diferença entre expor o lado humano e abrir mão da privacidade. Isto vale não só para executivos, mas para todo mundo”.

O executivo precisa ter um cuidado com a exposição na rede devido a organização que atua, afinal quando vemos representantes de empresas na internet, alinhamos a pessoa com os valores e interesses da corporação. Ser engajado e humano é possível e interessante, basta apenas criar ferramentas de comunicação eficazes e coesas e ter o tempo suficiente para atualizar o blog e responder os leitores.

Cuidados na rede

Para quem mantém um blog pessoal ou para um executivo que queira iniciar, é necessário ter cuidado com os acessos e informações divulgadas. Com a rotina corrida acessamos a Internet em casa, no trabalho, pelo celular ou tablet e, com isso, a exposição é maior.

Especialista em Direito Digital, o advogado Rafael Fernandes Maciel alerta que esse excesso de exposição pode causar problemas. A velocidade com que as informações circulam na web, a falta de controle no percurso dos dados e o registro de eventuais deslizes são alguns desses contratempos.

“Um comentário mal interpretado, feito presencialmente, tende a ficar restrito a um pequeno número de pessoas e pode ser esclarecido ou negado a um terceiro que não participou da conversa inicial. Mas, no meio virtual, essa possibilidade é praticamente eliminada. O que se escreve fica registrado, a pessoa acaba gerando provas contra si”, afirma Rafael Maciel.

Segundo o advogado é necessário ter cuidado ao expressar determinados temas, como sexualidade e religião, e comentários que possam ser interpretados como preconceito e/ou racismo. Os executivos carregam a bandeira da empresa e qualquer situação polêmica pode denegrir a imagem da instituição.

“As pessoas não foram educadas para o meio digital. Nossos pais não nos explicaram sobre esses perigos, justamente porque esse meio para eles também era estranho. É preciso entender que a proteção deve ser além de recursos tecnológicos. Ela passa necessariamente por uma boa orientação dos usuários”, esclarece Maciel, que mantém um blog.

Seguem algumas dicas de segurança que podem evitar problemas ou constrangimentos na web:

- Defina os graus de amizade e privacidade das informações;

- Evite a divulgação de vídeos comprometedores na internet, mesmo que inicialmente sejam para facilitar a visualização de uma determinada pessoa, pois um erro na configuração de privacidade pode ser fatal;

- Use senhas variadas para diversos serviços;

- Divulgue os créditos das informações, vídeos e imagens de terceiros;

- Crie pastas criptografadas no computador pessoal ou serviços de nuvem, evitando o acesso eventual por um técnico de informática;

- No caso de armazenamento na nuvem, seja por blogs, redes sociais ou mesmo por serviços de arquivo simples, tenha domínio da tecnologia empregada e conheça os termos de uso do prestador de serviço, para não ser surpreendido com alguma “armadilha” e ver exposta sua privacidade e seus dados pessoais.

Leia mais sobre:

  |    |    |    |