Tahiana D`Egmont: CEO da Mimplt

tahiana-degmont okTahiana D’Egmont tem 26 anos e acaba de lançar uma plataforma para aplicativos mobile, juntamente com sua sócia Mayara Campos. Atualmente, estuda Publicidade e Propaganda na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado – FECAP, mas sua carreira começou aos 15 anos no ramo da Internet.

Determinada em ter o próprio negócio, Tahiana vem trabalhando duro há 10 anos neste mercado e agora encontrou a oportunidade. A MimpIt é uma plataforma para desenvolvimento de aplicativos cuja ideia é que qualquer pessoa, mesmo sem conhecimento em TI, possa criar seu próprio app (aplicativo) em apenas 10 minutos.  D´Egmont foi uma das fundadoras da Mentez, maior publisher de jogos sociais do país, onde participou do desenvolvimento de produtos de sucesso como o jogo Colheita Feliz, do Orkut.

Boa leitura!

Conte sua trajetória de carreira, da participação da criação do  “Colheita Feliz”  até a criação da  Mimplt.

Quando fundei a Mentez já trabalhava com Internet há quase 10 anos, mas, a Mentez como um todo e, especialmente, o Colheita Feliz, marcaram muito minha carreira devido ao enorme sucesso. Desde então trabalhei em outra empresa de jogos sociais como Chief Marketing Officer (Vostu) e tive inúmeras ideias para novos empreendimentos até começar a MimpIt. De forma bem resumida, comecei a trabalhar com Internet aos 15 anos em produtoras de sites, depois em startups, e departamentos digitais de grandes empresas como a Universal Music .

Aos 19 fundei uma pequena agência de search marketing com um amigo da faculdade, depois me mudei para São Paulo – sou carioca – para trabalhar em uma agência digital e iniciei com a Mentez na sequência. A partir daí, eu cheguei a trabalhar em outra empresa, mas sabia que o que queria mesmo era empreender novamente e todas as condições para isso aconteceram na fundação da MimpIt.

O que é a Mimplt?

A MimpIt é uma plataforma que permite a qualquer usuário criar um aplicativo mobile, sem conhecimento de programação ou design. Nossa intenção foi envolver todo mundo nesse novo universo da mobilidade de forma fácil, sem grandes burocracias. O usuário se registra de forma gratuita, segue os passos para customizar seu app e adicionar conteúdo e publica em nossa plataforma, onde ele já fica disponível para ser acessado pelos navegadores dos celulares e adicionados às telas inicias dos aparelhos. Em breve lançaremos também a possibilidade do usuário enviar seu app para a App Store (iOS) e Google Play (Android), tornando o serviço ainda mais completo.

Por que investir neste mercado?

O mercado mobile como um todo é enorme no Brasil, somos um dos países com maior número de celular por habitante do mundo. A internet móvel quase dobrou de 2010 para 2011 e atualmente já corresponde a mais da metade dos acessos que temos na Internet tradicional. São dados impressionantes que só tendem a crescer. Com uma tendência dessas, quem ainda não está inserido no mobile precisa correr para estar onde seus clientes estão e a MimpIt facilita este processo.

Quais são as expectativas de crescimento?

A MimpIt é uma startup de tecnologia e, como tal, funciona de forma muito rápida, testando hipóteses a todo o momento a fim de adaptar seu modelo a algo que seja interessante para o mercado. Temos atualmente a possibilidade de o usuário criar seu app gratuitamente e um anúncio, monetizado pela MimpIt, é exibido ou pagar uma mensalidade de R$9,90 para remover esses anúncios do seu app. As expectativas de crescimento são grandes, acompanhando as projeções de mercado.

Qual é o principal motivo para se investir neste modelo de negócios?

Pela nossa experiência como empreendedoras gostamos de modelos onde parte seja grátis e parte seja Premium (pago). Assim, possibilitamos que mais pessoas experimentem e tenham contato com nossos produtos e, para aqueles aos quais agregamos mais valor, temos opções mais completas. É um modelo que funcionou em projetos anteriores de ambas e que vem se mostrando vencedor também na MimpIt.

Quais são as limitações e riscos deste mercado?

Para o mercado de apps em si as limitações estão ligadas à própria tecnologia. Com a mudança para novos aparelhos e fragmentação do mercado, existem muitos tamanhos de tela, recursos gráficos diferentes, e é virtualmente impossível criar uma versão de app para cada aparelho, então, nosso maior desafio é trabalhar cross browser (habilidade de um site ou aplicativo web suportar múlitplos navegadores). Não há risco do mercado não crescer, o Brasil está longe de estacionar quanto à adoção de plataformas móveis e renovação de tecnologia nesse segmento. O risco maior é estarmos lançando ainda cedo, com o mercado pouco preparado para entender que precisam estar nesse ambiente mobile.

Para o mercado de startups, os riscos têm a ver com o investimento que é feito, não só financeiro, mas, sim emocional e de tempo. O esforço é muito grande para algo que tem grandes chances de dar errado. No mercado de trabalho normalmente pessoas com o perfil de fundadores de startups recebem salários altíssimos, então, é difícil não se deixar seduzir por uma posição mais confortável e com melhor remuneração para empreender. As limitações acabam indo nessa mesma linha, o apelo do mercado como um todo te limita.

Para quem quer ingressar neste mercado, quais são as premissas para o sucesso?

Não existe receita de bolo para uma startup dar certo, mas creio que os fundadores de uma precisam ser flexíveis, ter muita vontade e garra para trabalhar a qualquer momento, de qualquer jeito, a qualquer hora e precisam entender de pessoas porque as contratações que se faz no começo da empresa refletem para todo o futuro.

O uso de tatuagem e piercing na entrevista de emprego

Como falar sobre os pontos negativos em uma entrevista

Prepare-se para a entrevista de emprego se quiser ser contratado