O Portal Carreira & Sucesso é uma publicação digital da Catho. Aqui você encontra informações relacionadas ao mercado de trabalho, que irão auxiliá-lo em seu desenvolvimento profissional.

25/10/2012 - O voluntariado empresarial e seus benefícios

Autor: Comunicação

Voluntariado nas EmpresasAté pouco tempo atrás, a maioria dos trabalhos voluntários provinham de ações pessoais, grupos escolares e religiosos. De alguns anos para cá, o cenário mudou totalmente e, hoje, grande parte dos investimentos em voluntariado deriva de empresas brasileiras e multinacionais.

As organizações perceberam que, apoiando a causa e envolvendo seus funcionários, constroem uma imagem positiva perante o mercado, além de desenvolver pessoal e profissionalmente os voluntários, pois participando de programas desta natureza são descobertas novas potencialidades e aumentam-se os círculos de amizades, ampliando a visão de mundo e promovendo a participação da construção de uma sociedade mais justa.

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pelo Conselho Brasileiro de Voluntariado Empresarial (CBVE), com a colaboração de grandes empresas atuantes no país, contribuir para o desenvolvimento das comunidades próximas à empresa ficou como o principal propósito ao desenvolver o voluntariado, com 29,7% das respostas. Em segundo lugar, ficou a contribuição para a melhoria das condições de vida de seus moradores (20%), seguida do fortalecimento da imagem da empresa para os públicos interno e externo (18%). “Vejo que as pessoas querem se envolver, mas não sabem onde e como fazê-lo. Programas de voluntariado precisam ser fortalecidos por políticas públicas e pelo poder privado. A mídia também vem abordando mais este tema, e isto ajuda na divulgação”, relata Heloisa Coelho, diretora executiva da Rio Voluntário e secretária executiva do CBVE.

Vantagens para os profissionais

O voluntariado desenvolve diversas habilidades e competências nos profissionais, como liderança, trabalho em equipe e comprometimento. O engajamento com a organização também é um ponto forte, gerando um sentimento de orgulho nas pessoas que acabam participando dos programas.

“Fizemos um trabalho de conscientização de funcionários, em parceria com o Centro de Voluntariado de São Paulo, e promovemos palestras sobre o que é ser voluntário e como ter comprometimento com a causa. Além disto, realizamos uma campanha interna, divulgando as ações que funcionários já envolvidos com voluntariado fazem por conta própria. A intenção é estimular a participação de todos”, enfatiza Luciane Borges, gerente de Comunicação da Novelis, empresa que promove o voluntariado nos pilares da educação, segurança e reciclagem.

Em critérios de recrutamento e seleção, ter trabalhos de voluntariado no currículo pode ser uma vantagem. A empresa, sabendo que o profissional participou de ações sociais, pode levar em consideração que este candidato carrega habilidades e competências interessantes, com valores éticos mais consolidados. “O voluntariado amplia as bagagens e experiências possibilitando uma série de informações e aprendizagens que podem ser conectadas com as demandas do ambiente profissional”, conta Marina Carvalho, supervisora da Fundação Educar DPaschoal.

Responsabilidade social deve ser estimulada no Brasil

Se comparado com cidadãos de outros países, o brasileiro ainda é muito ausente na questão do voluntariado. Segunda pesquisa do Ibope, 25% dos brasileiros fez, em toda vida, alguma ação neste sentido, sendo que apenas 11% deste total estão envolvidos continuamente com a causa.

“Devemos estimular a prática solidária nas novas gerações e despertá-las para essa consciência de contribuição coletiva para que, no futuro, o voluntariado não seja um diferencial mas, parte do hábito de todo cidadão”, aponta Marina.

Para ela, como a empresa tem lojas em diversos estados, o grande desafio é mobilizar quem não está tão perto da Fundação. “Muitas vezes a demanda vem da própria loja que solicita nosso apoio então, o programa acaba contribuindo também para essas iniciativas. Se não houvesse tal apoio, talvez muitos desistiriam por não saber por onde começar”, explica.

 

Leia mais sobre: