O Portal Carreira & Sucesso é uma publicação digital da Catho. Aqui você encontra informações relacionadas ao mercado de trabalho, que irão auxiliá-lo em seu desenvolvimento profissional.

18/02/2009 - PROFISSÃO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

 

Letícia Fagundes

Ele pode trabalhar com infra-estrutura, banco de dados, programação, análise de sistemas, gerenciamento e até mesmo com gestão de negócios, quando chega aos cargos mais altos, como grandes diretorias. A área é ampla, para a surpresa de muitos que ainda pensam que o profissional de Tecnologia da Informação – TI é alguém única e exclusivamente ligado a computador e informática.

“É um ambiente em que você não pensa só em computador. Você pensa em infra-estrutura, comunicação entre os departamentos e até na disponibilização de impressoras, por exemplo. Para ter ganho de produtividade e não ter perda de profissional. Toda a necessidade de movimentação da empresa passa por TI. Ou seja, tudo. E por isso precisa ser um profissional não especialista, mas generalista”, explica Claudemir Almeida, diretor de TI da BDO Trevisan.

Não é nada fácil definir alguém de TI, devido justamente à amplitude de aplicação de seu trabalho. É complexo, pois a TI não se restringe a equipamentos (hardware), programas (software) e nem à comunicação de dados. É também planejamento, desenvolvimento e, acima de tudo, gestão. Hoje, a área está intimamente ligada aos resultados da empresa, produtividade e competitividade. Afinal, quem trabalha com TI trabalha com algo extremamente importante para as empresas: informação.

“Quando o profissional está desenvolvendo uma ferramenta, não tem de pensar única e exclusivamente no que ele está fazendo, e sim onde e como aquilo que ele está fazendo impactará”, continua Claudemir, que trabalha há 24 anos na área.

O diretor do centro de pós-graduação e MBAs da Faculdade de Informática e Administração Paulista – FIAP, Gutenberg Silveira, complementa: “Uma das áreas em TI é a sua gestão. A gestão tem um papel tático ou executivo nas organizações. Basicamente, implica em analisar situações, estudar alternativas, fazer escolhas e implementar soluções nas organizações.”

O MBA em Gestão de TI ministrado pela instituição, que está entre os 10 melhores do País, tem tido uma procura crescente, assim como todas as especializações voltadas para a área. “A procura por cursos de pós e aperfeiçoamentos, em geral, se mostra em crescimento face à necessidade de formação de profissionais com conhecimentos e habilidades superiores”, esclarece Gutenberg.

EMPREGO GARANTIDO

Pesquisas oficiais mostram o mercado de TI em pleno crescimento nos próximos anos. O cenário atual é definitivamente carente e demanda profissionais capacitados. “Esse profissional é de extrema importância, porque as ações dele vão garantir o bom andamento e a boa comunicação da empresa. Cada vez mais é uma área estratégica e que, por isso, ganha espaço“, diz Claudemir Almeida.

Mário Fagundes, gerente da Pesquisa Salarial e de Benefícios da Catho Online, afirma que no site há, mensalmente, uma oferta de 2.800 vagas na área de TI. Segundo ele, o salário inicial para o profissional é, em média (na tabela salarial), de R$ 2.875 – dependendo do tamanho da empresa e da área de atuação, pode superar os R$ 4.000.

O professor Gutenberg Silveira lista mais informações:

  • O Brasil tem hoje, aproximadamente, 500 mil profissionais de TI.
  • Estima-se que o Brasil possui atualmente um déficit de 20 mil profissionais de TI, número confirmado pelas estatísticas do Ministério de Ciência e Tecnologia – MCT. São vagas abertas e não preenchidas simplesmente porque não há profissionais qualificados.
  • O crescimento do setor de TI será de 11% ao ano até 2009.
  • O maior déficit é de programadores e desenvolvedores de software, que atuam na ponta do processo de produção, etapa essencial na indústria de tecnologia.
  • Segundo estudo da Sociedade Brasileira para Promoção da Exportação de Software – Softex, até 2012, se levarmos em conta apenas o segmento de software e serviços correlatos, haverá 230 mil vagas de emprego em aberto no Brasil.
  • O Plano de Investimento para a Formação de Capitação Humano para Software, encomendado à Softex pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, está parado desde setembro de 2006. Segundo o estudo, com base nas taxas de formação e de crescimento de tecnologia, seria necessário injetar cerca de R$ 2 bilhões para suprir a demanda estimada para 2012 em todos os níveis de formação.

    Para se ter mais idéia do aquecimento do mercado, a IBM divulgou no início de 2007 a meta de contratar 10 mil novos profissionais até 2009 no Brasil. No caso da indiana Tata Consultancy Services – TCS, o número seria de 4 mil novos empregados até o final da década. E ainda nesta semana, a SAP Brasil, uma das líderes mundiais em aplicação de negócios, divulgou que está buscando em todo o País gerentes de projetos e consultores para a área de TI.

    O coordenador do curso de Administração com linha de formação em TI da FIAP, Adalton Ozaki, garante que o emprego é garantido até para quem está começando a faculdade – ou ainda antes. “A partir do primeiro ano os alunos já são aproveitados no mercado. E tem mais: há empresa resgatando estudantes até no colegial para pagar para eles o curso de TI.”

    FORMAÇÃO

    Dentre os cursos mais recomendados pelos especialistas em TI, Ciências da Computação, Sistemas da Computação, Engenharia da Computação e Administração com linha de formação em TI são os mais citados.

    O professor Ozaki esclarece: “Para uma pessoa mais tímida, introspectiva, técnica e que gosta muito de micro e de trabalhar na frente da máquina, é mais interessante um curso de Tecnologia, um curso mais focado na ferramenta e em linguagem de programação. Agora, para alguém que gosta de tecnologia e é bastante comunicativo e voltado para relacionamento, um curso de Administração é mais interessante porque ele pode trabalhar como analista, como gerente de projetos e na área comercial.”

    João Paulo Natacci escolheu cursar Administração com linha de formação em TI e justifica:

    “Para não criar um gap entre o perfil tecnólogo e o gestor. Acredito que este seja um grande abismo que encontramos na maior parte das empresas atualmente.”

    No segundo ano da graduação e com 24 anos, ele já é consultor de TI do Grupo Votorantim. E sabe definir bem o perfil de quem trabalha na área. “Ser um profissional com atitudes empreendedoras, atualizado, motivado, com foco em gestão e objetivando agregar valor ao negócio. Também é essencial possuir autodisciplina, ser organizado no planejamento e na execução. Temos de entender que a nossa principal missão nesta área é apoiar o crescimento da empresa.

    Vencedor da recente etapa brasileira do Imagine Cup, evento organizado pela Microsoft e que teve mais de 16 mil inscritos, João Paulo dá a dica para outros estudantes. “Considero muito importante [participar de congressos, prêmios, competições], levando em consideração que quando participamos destes eventos nossos horizontes são ampliados e passamos a ter novas perspectivas. Para carreira, formamos networking e também adquirimos muito conhecimento em curto espaço de tempo.”

    *Consulte currículos da área de Tecnologia da Informação.

  • Leia mais sobre: