Conflito de gerações: como administrar?

Colunista: Alessandro NatalRecentemente fui convidado a participar de uma entrevista para uma rádio onde um dos assuntos em pauta era a sucessão familiar.

A pergunta era: Você já conduziu uma sucessão familiar?

Resp.: As conduzo diariamente em nossa atuação e acompanhamos os conflitos que são gerados.
Entre os problemas ligados a sucessão das empresas familiares destacam-se:

  • A pouca atenção ao planejamento de sucessão pela maior parte das empresas;
  • Divergências entre sucedidos, sucessores e sócios;
  • Pouco preparo do sucessor para o negócio ou número excessivo de sucessores;
  • Divergências ou rivalidades entre familiares;
  • Regras da família e empresa se misturam ou não são claras;
  • Insegurança dos colaboradores a respeito do futuro da empresa.

A segunda pergunta: Como administrar essa situação?
Resp.:  Ações preventivas buscam facilitar o processo sucessório e minimizam os conflitos que emergem nesta fase importante, delicada e inevitável no ciclo de vida das empresas. É tudo parte do processo de entendimento, que como na vida tudo nasce, cresce e vai se transformando continuamente; neste processo, a validação daqueles que começaram o negócio, os chamados “empreendedores”, que em muitas situações não abrem mão dos valores tradicionais e de velhas fórmulas de se relacionar, em dissonância com o espírito e a pretensão de seus sucessores .
Os sucessores, muitas vezes, são jovens que vêm com uma grande energia e disposição para seguir as tendências do mercado e, em muitos casos, esquecem-se de interagir com aqueles que iniciaram o negócio, considerando que seu estilo já está ultrapassado.
O equilíbrio é a palavra chave esse processo e, na maioria das vezes, esse processo de transição só será bem sucedido com um mediador, profissional que consegue utilizar a experiência daqueles que começaram o negócio e criaram todo o conceito e credibilidade, com a energia, disposição e espírito inovador dos mais novos.
Para que isso aconteça na prática é importante que, em todos os momentos, as duas gerações atuem juntas e respeitem as opiniões, pontos de vista diferentes da mesma situação e decidam sempre em função do negócio. Esse é o melhor método de aprendizado para ambas as gerações, a que tem a experiência de anos conduzindo e aquela que vem com muita vontade para transformar.
As ações preventivas minimizam os conflitos envolvidos na sucessão, aumentam as chances de sucesso e resume-se no planejamento da sucessão e no preparo dos envolvidos.

Estamos preparados para a batalha da concorrência?

Para o jogo que virá

Tudo tem consequência