Cultura empresarial. Você costuma tratar desse assunto?

Colunista: Alessandro NatalCultura é um assunto amplo, que abrange todos os aspectos relativos ao comportamento das pessoas em determinada sociedade, como crenças, costumes, hábitos e aptidões. A cultura torna-se, portanto, norteadora de conduta, o que tende a fortalecer as relações humanas.
Quando se trata de uma sociedade moderna, como a nossa, o termo se fragmenta ainda mais e ganha configurações específicas que espelham relações estabelecidas nos mais diversos ambientes. Temos a cultura do bar, da igreja, da escola, do lar, etc.
Uma empresa também deve ter sua própria cultura. Tanto é que os empreendimentos onde a cultura empresarial foi bem definida e tem força costumam se consolidar, enquanto aqueles distantes de qualquer modelo organizacional acabam fracassando.
Ou seja, empresa sem um modelo cultural, que oriente e discipline os seus integrantes e as suas relações externas, acaba perdendo seu potencial e se tornando uma bagunça, pois funciona somente em decorrência do seu core business (negócio principal), que segue uma lógica intuitiva e não racionalizada.
Em caso assim, cada funcionário tende a desenvolver sua própria forma de agir e aquele que tiver mais força se impõe aos demais, que o obedecem, criando uma cultura provisória e vulnerável, uma vez que ela não representa a empresa como instituição. Isso não é bom, porquese essa pessoa vai embora leva consigo a cultura que ela estabeleceu informalmente.
Por isso é importante saber que a cultura de uma empresa tem de ser maior que a soma da cultura das pessoas que a compõem. Não é a cultura do proprietário, nem daquele profissional que decide tudo. Cultura empresarial deve ser um assunto discutido tecnicamente, pois envolve todos os procedimentos internos, bem como o tratamento dado aos colaboradores e clientes externos. Nada que um bom gestor não saiba implantar.Quando contratamos alguém para trabalhar em nossa empresa, o novo funcionário deve saber exatamente como se comportar no desempenho de suas funções. Assim, caso ele vá embora um dia, a empresa continuará em pé, forte e atuante.

Estamos preparados para a batalha da concorrência?

Para o jogo que virá

Tudo tem consequência