As mentiras mais comuns e absurdas em currículos

Com o mercado de trabalho cada vez mais acirrado, os profissionais buscam diversas maneiras para se destacarem e conseguirem a tão desejada recolocação no mercado.

O currículo, como porta de entrada de muitos profissionais é uma das ferramentas mais utilizadas na busca de uma nova oportunidade, por isso, é essencial caprichar em sua confecção, mas muitas vezes invenções e “aumentos da realidade” são aplicados para que o currículo pareça melhor.

A CareerBuilder, divulgou nesta quinta-feira (7) uma pesquisa que revelou que cerca de 58% dos gerentes de recrutamento já descobriram alguma mentira em currículos e 33% dizem que os casos tendem a aumentar no período de pós-recessão.  A pesquisa consultou mais de 2000 profissionais responsáveis por recrutamento nos Estados Unidos entre 13 de maio e 6 de junho de 2014.

A pesquisa ainda aponta que mais da metade dos entrevistados (51%) dispensam automaticamente um candidato que mente em seu currículo, enquanto 40% afirmam que essa atitude depende do tipo de mentira, apenas 7% mostraram-se dispostos a esquecer da mentira caso o candidato tivesse algo interessante a oferecer.

“A confiança é muito importante nas relações profissionais. Ao mentir no currículo, o candidato viola essa confiança desde o início”, diz Rosemary Haefner, vice-presidente de recursos humanos da CareerBuilder. “Se o candidato quer melhorar seu currículo, é melhor se concentrar em mostrar exemplos da experiência real. O currículo pode não ser perfeito para a empresa, mas ele deve ser relevante e preciso.”

Confira na sequência alguns tipos de mentiras mais frequentes:

As mentiras mais bizarras em currículos

1) Candidato incluiu experiência profissional que era de seu pai, já que os dois tinham o mesmo nome.
2) Candidato afirmou ser assistente do primeiro-ministro de um país que não tem esse cargo.
3) Candidato disse ter sido campeão de lances livre de basquete na sua escola, mas afirmou, durante a entrevista, que isso era mentira.
4) Candidato afirmou ter sido medalhista olímpico.
5) Candidato disse ter sido supervisor de construção. Sua experiência na área foi durante a construção de uma casinha de cachorro, alguns anos antes.
6) Candidato informou ter trabalhado por 20 anos como babá de celebridades, como Tom Cruise e Madonna.
7) Candidato listou três empregos nos últimos anos, mas ao entrar em contato com os empregadores, o entrevistador descobriu que ele trabalhou em uma das empresas por 2 dias, na outra por um dia, e que ele nunca tinha atuado na terceira companhia.
8) Candidato se inscreveu para uma posição na empresa da qual tinha sido demitido. Ele listou a empresa como antiga empregadora e indicou, no currículo, que havia se demitido.
10) Candidato se inscreveu duas vezes para o mesmo cargo e apresentou histórico diferente nas duas oportunidades.

As mentiras mais comuns em currículos:
1) Conjunto de habilidades: 57%
2) Conjunto de responsabilidades: 55%
3) Data de empregos: 42%
4) Cargo: 34%
5) Nível acadêmico: 33%
6) Empresas em que trabalhou: 26%
7) Reconhecimentos e prêmios: 18%

As áreas em que as mentiras são mais frequentes:
1) Serviços financeiros: 73%
2) Lazer e hospitalidade: 71%
3) Tecnologia da informação: 63%
4) Saúde: 63%
5) Varejo: 59%

De olho no currículo

Sobre o tempo de avaliação de cada currículo, 42% dos recrutadores disseram que gastam cerca de 2 minutos revendo cada um. Além disso, a grande maioria dos entrevistados revelaram ter duas ou mais pessoas que auxiliam na avaliação de currículos. Um gestor de RH possui habilidades e maneiras fáceis e rápidas de descobrir mentiras, por isso salientar seus pontos fortes é uma maneira muito mais eficiente de turbinar seu currículo.

 

 

De empreendedor a empregado novamente: como voltar a buscar emprego

Como fazer um currículo sem experiência e sem ensino superior

Como montar um bom currículo?