RIP Paint: exemplo para a carreira


Mais uma das ferramentas mais tradicionais da tecnologia, o MS Paint, ficou para trás e abriu espaço para o novo. Sabe como isso pode ser uma lição para a sua vida profissional?

Neste mês, a Microsoft anunciou que o MS Paint, queridinho editor de imagens, seria descontinuado. A ferramenta, que estava nos computadores produzidos pela empresa desde 1985, agora estará apenas disponível para download na loja de app e não nas funções originais. Ela será substituída pelo Paint 3D, aplicativo que, além dos recursos da versão anterior, terá muitas novas possibilidades, como a criação de trabalhos em três dimensões, interface turbinada e adaptável a dispositivos com telas sensíveis ao toque.

A não ser que você trabalhe diretamente com edição de imagens ou com atividades relacionadas, a notícia parece não ter nada a ver com você. Mas, para que servem as analogias se não para fazê-las?

Na corrida pelo sucesso profissional, assim como a Microsoft fez com o Paint, você também precisa investir constantemente em melhorias, mesmo que isso custe deixar a tradição de lado.

Foi-se o tempo em que as práticas do mercado e, principalmente, a tecnologia levava meses ou anos para se renovarem. Hoje em dia é tudo muito rápido: novos produtos, softwares, métodos de trabalho, etc, etc, etc. Mas para que todas as novidades possam ser exploradas e os processos melhorados, é essencial que as pessoas estejam abertas a recebê-las e preparadas para implementá-las no dia a dia.

No mercado, a competitividade se mede pela capacidade dos profissionais contribuírem com ideias inovadoras e com resultados positivos. E isso é válido inclusive para quem já está empregado. Isto é, faça da quebra de paradigmas o seu novo padrão, se atualize sempre e seja inovador.

[newsl]

Chegou o mês mais longo do ano. E agora?

No currículo e na entrevista, chega de clichês!

E se perguntarem, na entrevista, por quê fui demitido?