5 comportamentos que vão te eliminar da entrevista de emprego

 

A entrevista de emprego é a grande oportunidade que qualquer profissional tem para ingressar no emprego que deseja, iniciar a carreira na empresa dos sonhos ou sair do desespero provocado por um longo período de desemprego.

Porém, esta oportunidade pode ser jogada no lixo se o profissional insistir em não tomar cuidado e alterar certos comportamentos que possui. Lembre-se que a entrevista é uma oportunidade única e que, do outro lado, existe uma pessoa que estará interpretando as suas respostas e cada comportamento que apresentar.

Muitos candidatos me dizem que os seus comportamentos são analisados de forma equivocada pelos recrutadores. Isto até pode acontecer, mas, na grande maioria dos casos, o recrutador faz uma análise coerente; até porque a sua função é essa: analisar e questionar o comportamento dos candidatos. A experiência de conduzir centenas de processos seletivos faz com que a análise do recrutador seja cada vez mais apurada. já a sua experiência sobre análise comportamental pode não ser tão profunda, não é mesmo?

Portanto, entender quais são alguns dos comportamentos que podem gerar uma má interpretação é fundamental. Eu listei alguns comportamentos que dão arrepios em qualquer recrutador e te deixam mais distante da conquista do emprego:

 

Profissional que não se atenta ao que foi combinado

Geralmente, as informações sobre a entrevista são combinadas por telefone ou e-mail. Neste momento, o recrutador informa o horário da entrevista, o local e algum outro requisito (como, por exemplo, a apresentação de algum documento ou, até mesmo, o currículo). Não se atentar a estas informações e agir contra elas é a primeira bola fora.

Anote cada informação que lhe foi passada. Prepare tudo com antecedência para garantir que não cometerá nenhum equívoco. Avalie o trajeto e faça uma previsão de quanto tempo será necessário para chegar no local. Se possível, faça o percurso alguns dias antes para entender quanto tempo gasta e se as soluções de transporte estão de acordo. Imprima e separe todos os documentos necessários alguns dias antes.

Se você não conseguir atender à expectativa do recrutador para a participação na entrevista, ele entenderá que não conseguirá atender às necessidades no trabalho e ele estará certo! Afinal, a forma como você faz uma coisa em sua vida é a forma como realiza todas as outras !

 

Profissional que se contenta em oferecer uma desculpa

Durante a entrevista, o candidato pode atrasar, se perder no caminho e não conseguir responder a uma pergunta. Concordo que todos estamos suscetíveis a estes contratempos. Porém, quando cometemos um erro, não basta pedir desculpas. Pedir desculpas demonstra que reconhecemos o erro e que sentimos por isso, mas não resolve o problema. A desculpa recupera o tempo perdido?

Qualquer erro que cometer na entrevista afetará a sua avaliação final, mas quando se esforça para reparar o erro o impacto pode ser minimizado. Todos erramos. Nas empresas, diversos profissionais erram, mas os que crescem profissionalmente são os que assumem a responsabilidade e se esforçam para reparar este erro, mesmo gastando mais tempo, energia ou dinheiro para isso.

Sendo assim, se perceber que está atrasado, pegue um táxi. Se esquecer um documento, corra em uma lanhouse para imprimi-lo. Se não souber responder um pergunta de imediato, pense! Pare de pedir desculpas e achar que isto é suficiente, pois não é!

 

Profissional que não se preocupa com a sua comunicação

Cada pessoa possui as suas características de personalidade. Porém, é importante conhecê-las e trabalhar para melhorá-las de acordo com a situação. Um entrevista de emprego exige uma conversa aberta. Os tímidos devem se esforçar para se comunicar com um nível de detalhe maior do que o normal e falar sobre as suas experiências profissionais e os objetivos futuros com clareza.

Já os muito comunicativos devem se preocupar em manter uma comunicação profissional. Conversar com o recrutador como se ele fosse o seu melhor amigo de infância pode não ser o caminho ideal. Até porque, quanto mais confortável você está em uma comunicação, mais pode escorregar na utilização de gírias e na apresentação de ideias polêmicas.

 

Profissional que desconhece as suas características

Você sabe que o recrutador vai querer te conhecer. Você sabe que vai perguntar em quais atividades se dá bem e em quais sente mais dificuldade. Então, por que não pensa sobre isso um dia antes da entrevista?

Quando pergunto quais os pontos fortes de um candidato ainda ouço: “Não sei.”, “É difícil falar sobre nós mesmos, não é?”, “Deixa eu pensar…”, entre outros. A entrevista é a oportunidade que você tem para mostrar o seu diferencial e o porquê vale a pena te contratar. Use esta oportunidade a seu favor.

 

Profissional que não lembra das suas experiências passadas

Durante a entrevista, o recrutador tende a avaliar as suas capacidades de acordo com as experiências que teve no passado. Você pode utilizar exemplos da sua vida profissional, acadêmica e, até mesmo, pessoal. É importante que você tenha conhecimento de situações da sua vida que comprovam as suas atuais competências.

Pense um pouco: quais as suas grandes habilidades? Cite, pelo menos, uma experiência que comprove que possui uma habilidade específica. Faça este exercício antes da entrevista. Isto deixará as suas ideias prontas para quando o recrutador te perguntar. Caso contrário, demonstrará que não se preocupa muito com o seu histórico profissional e que, talvez, não consiga tirar aprendizados das suas experiências e isto é crítico.

 

Ser flexível e estar disposto(a) a mudar os seus comportamentos é caminho mais curto para a sua recolocação. Se continuar agindo da mesma forma, só fará com que obtenha os mesmos resultados. Você tem demonstrado algum dos comportamentos listados acima? O que precisa mudar?

 

_

Sobre o autor
Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.

No mercado de trabalho, quem senta no Trono de Ferro?

5 pensamentos que te atrapalham na hora de conseguir um…

Destravando a comunicação dos tecnólogos