Pare de pedir desculpas no trabalho!

Pedir desculpas para alguns profissionais é quase um hábito, um padrão comportamental. Frente a qualquer situação na qual o profissional não tenha uma boa resposta para oferecer para um cliente, fornecedor ou, até mesmo, para o seu líder ou um colega de trabalho, é comum ouvirmos: “Me desculpe”.

Essas situações se repetem em diversas empresas e identificamos diariamente pessoas pedindo desculpas por motivos insignificantes, como quando entram em uma sala de reunião na hora adequada ou quando tocam sem querer em algum objeto de uma mesa que não é sua. O pedido de desculpa não pode ser utilizado de forma banal, afinal é uma forma muito clara de demonstrarmos grande arrependimento por algo que fizemos.

Por que você demonstraria grande arrependimento por, simplesmente, ter encostado em um objeto? Por que você se arrependeria por entrar na sala de reunião, se está dentro do horário? Podem existir inúmeras explicações. Talvez você utilize os pedidos de desculpas como muletas, para se defender de feedbacks negativos no futuro ou para se manter imperceptível em uma determinada situação de trabalho.

De qualquer forma, o uso incorreto da linguagem não te levará muito longe na carreira. Repetir os pedidos de desculpas de forma padronizada demonstra a sua falta de habilidade de responder as diversas situações na qual é submetido e, geralmente, significa que você tem apenas vontade de dizer “Eu espero que esteja tudo bem com você”. Novamente, na maioria das situações, o pedido de desculpas não faz sentido e não deve ser realizado.

Lembre-se que, em uma empresa, quando olhamos para os resultados que queremos alcançar, o pedido de desculpas não melhora e nem resolve o problema. Como já comentei, apenas demonstra arrependimento e isso não é o suficiente para um profissional.

Porém, existem situações nas quais, realmente, erramos e geramos impactos negativos aos envolvidos. Por exemplo, se você atrasar a entrega de um produto ou um serviço, seu cliente ficará insatisfeito e a credibilidade de sua empresa será abalada. Perceba, nesta situação, que demonstrar arrependimento é necessário, mas, logo em seguida, é preciso assumir a responsabilidade pelo erro e por sua correção, apresentando dois pontos fundamentais aos impactados para tentar retomar a credibilidade:

  1. Apresentar um plano prático, com grande urgência, de como você resolverá o problema gerado;
  2. Apresentar um plano que descreva como você evitará que este erro ocorra novamente no futuro.

Apenas desta forma, você demonstra maturidade e capacidade para lidar com o problema gerado, além de retomar a confiança dos envolvidos. Ser responsável não significa se arrepender pelo erro cometido. Ser responsável significa assumir o erro, entender o seu real impacto, agir com urgência para solucioná-lo e demonstrar o que fará para evitar que este erro se repita.

_
Sobre o autor
Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.

5 dicas para seu home office ser mais produtivo

10 dicas para estudar para o ENEM: ainda dá tempo!

8 tipos de chefe ou porque você deveria mudar de…