Memórias & Memória: como você tem exercitado o seu cérebro?

Colunista: Leila NavarroOs recursos disponíveis no mundo moderno são maravilhosos! Eles têm sido responsáveis por muitas inovações, encurtado distâncias, projetado o futuro e tantas outras possibilidades! Ficaríamos aqui horas e horas apontando quantas parafernálias extraordinárias existem. Mas, o que quero tratar é sobre a capacidade de cada um de nós para armazenar informações.

Cada vez com mais frequência tenho observado pessoas de todas as idades reclamando da falta de memória e o grande perigo disso é que comecemos a usar os poderosos smartphones como extensão do nosso HD natural, sem nos dar conta do que isso significa. Num passado bem recente, antes do advento dos celulares inteligentes, a maioria das pessoas decorava números de telefone com mais facilidade e por necessidade. Hoje, confesso, não sei nem o número do celular dos meus filhos, pois já que o meu aparelhinho tem essa memória, eu poupo a minha! Mas, devemos ter cuidado com isso! E, com você, quero refletir um pouco sobre essa realidade.

Uma das evidências confirmada cientificamente é que tudo que não se usa, atrofia. E isso vale também para a capacidade e habilidade cerebral. Cada geração tem seu comportamento e características. A Geração Z questiona a necessidade de memorização já que tudo está no Google e, de outro lado, a Geração Baby Bommer preocupa-se em conhecer e adotar formas de como manter a sua memória.

De acordo com a neurociência o cérebro humano cria neurônios durante toda a sua vida, principalmente, na área dedicada à aprendizagem e à memória, mas chega à idade adulta aos 30 anos e, a partir daí, começa a envelhecer. A partir dessa informação eu pesquisei 12 passos simples para manter um cérebro saudável. Veja:

1. Coma pouco. Comer muito aumenta o estresse oxidativo das células e agride o cérebro.

2. Pratique esporte regularmente. A atividade física produz substâncias que ajudam o funcionamento cerebral.

3. Faça exercício mental todos os dias.

4. Viaje muito. Essa é uma forma de aprender e criar memórias novas.

5. Viva em sociedade. Ter pessoas ao seu redor ajuda a exercitar a memória.

6. Seja adaptável. As mudanças acontecem muito rapidamente e quanto mais rápido você aceitá-las melhor.

7. Evite o estresse crônico.

8. Risque o cigarro da sua vida.

9. Cultive boas horas de sono. Dormir entre sete e oito horas por noite é uma fonte regeneradora.

10. Evite o apagão emocional. Cultivar a automotivação, os sonhos, a ilusão, a emoção é o que nos faz ter desejo de vida.

11. Pratique o agradecimento. Pessoas agradecidas rejuvenescem o cérebro.

12. Valorize as pequenas coisas.

Cada ser humano tem as suas próprias memórias. As suas são diferentes das minhas e a partir delas cada um de nós tem a sua história, a sua identidade. Mesmo que uma pessoa não lembre detalhadamente a sua biografia, as memórias inconscientes se revelam no comportamento e na forma de aprender e a encarar as circunstâncias da vida.

Minha memória é responsável pela confiança que tenho em mim. Quando eu tenho memória e reconheço meus acertos e aprendizados, consigo desenvolver minha autoconfiança. Não vivo de passado, nem no passado, muito pelo contrário. Sou presente no presente e tenho metas para o futuro, afinal, sou uma sagitariana movida a novos desafios!

Com tudo isso eu desejo que você reconheça que apossar-se da sua memória faz muito bem. Você tem a possibilidade de dar uma viajada panorâmica por sua própria história e lembra-se dos caminhos percorridos, das pessoas que conheceu, o que aprendeu com cada uma delas, como você era, o que mudou e o que ainda vale a pena conservar, reconhecer as escolhas que fez, lembrar as grandes alegrias e as tristezas, dos ganhos e das perdas! Fazer um resgate das suas memórias remotas trás consigo um milagre e você pode se dar conta que todos os acontecimentos na sua vida foram bons. Esse exercício em geral nos faz perceber que tudo aconteceu na hora certa, pois se não tivesse acontecido como aconteceu, também não seríamos a pessoa que somos hoje. Você já se deu conta disso?

Mas, tem um detalhe importantíssimo! Tudo que foi falado até aqui é natural para uma pessoa que é de bem com a vida, ou melhor, de bem consigo mesmo. Quando estou centrada na minha essência e na minha história, reconhecendo cada etapa como fator importante para o meu crescimento, a minha memória permanece saudável, jovial e criativa. Consegue compreender isso?

Agora chega de conversa e vamos a uma sugestão prática para ativar a sua memória de uma forma cativante e harmoniosa. Reserve um espaço na sua agenda e reúna pessoas queridas e próximas que fazem parte de uma época da sua vida. Coloque-as juntas em uma mesa ou no centro da sala e espalhe fotos, vídeos, objetos e até mesmo roupas que remetam a épocas importantes para vocês e falem divertida e positivamente desses momentos. O olhar positivo sobre experiências passadas alimentam a alma.

Atenção! Vou repetir algo muito importante. Esse exercício deve ser encarado como um nutriente para o seu cérebro e não uma forma de viver “de passado” ou “no passado”- use a memória para reviver e aprender com experiências passadas. Conforme o tempo passa você tem a oportunidade de amadurecer, desenvolver e ressignificar sua história e, assim, fortalecer o autoconhecimento, a autoaceitação, o amor próprio e a capacidade de amar os outros, afinal só podemos oferecer o que temos. Pense nisso!

10 habilidades imprescindíveis para qualquer profissional

Inteligência artificial: robôs terão a capacidade de sonhar

A crise, as organizações e os desafios de um líder