Você é invejoso?

Desde criancinhas ouvimos que a inveja é um sentimento ruim e mesquinho. Sabe, vou confessar, muitas vezes eu sinto inveja: tenho inveja quando um concorrente meu está se dando bem, tenho inveja quando alguém alcança um patamar que almejo. Entretanto, minha inveja não faz mal a ninguém, não desejo o mal do meu invejado. Porém, automaticamente crio uma linha a ser cruzada.

Minha inveja se transforma em: puxa, isso é possível! Se ele pode, eu também posso! Se ele conseguiu eu também consigo e mereço!

Acredito que a inveja é inerente ao ser humano, já a cobiça pelo alheio, a destruição do outro, a mesquinharia é fruto dos fracos, dos mimados.
“Mamãe eu também quero!” Se o brinquedo não é meu também não vai ser de ninguém!
Vemos isso acontecer todos os dias.

Homens que ainda têm o comportamento de uma criancinha: mutilam, machucam, e matam suas amadas quando sabem que elas não mais lhe “pertencem”. A violência doméstica é fruto da descoberta que a “sua” mulher não tem que ficar dentro de casa, nem no seu coração, na sua alma ou em seu domínio!

Voltando para o mundo corporativo, profissional ou até de vida, levanto a bandeira para que sejamos invejosos. Sim, pare de descobrir erros nas conquistas dos seus concorrentes. Pare de achar que as uvas estão verdes. Pare de tentar justificar um erro de conduta nas conquistas dos seus invejados.

Tenha inveja das coisas boas,  do que gostaria de fazer, do que gostaria de conquistar. Perceba o que o outro fez,  o que ele precisou fazer para conquistar o que VOCÊ sempre desejou e adiou, achou que não era possível e etc.
Tenha inveja! Tenha sabedoria para transformá-la em combustível para suas realizações! Saiba modelar a excelência e vá à luta!

Eu adoro ter inveja, ela me tira da zona de conforto, do pedestal da arrogância, de achar que eu já faço o melhor.
Por fim! Eu sou Invejoso sim!

Onde está a informação que você precisa?

4R’s ou pão-durisse?!

Será que temos ética?