Cuide de sua reputação

Colunista: Sílvio CelestinoA eleição de Renan Calheiros para a presidência do Senado serve para questionar se, na carreira profissional, vale a pena chegar aos postos relevantes, mas com péssima reputação. Embora na política pessoas de reputação duvidosa encontrem terreno fértil para o desenvolvimento de suas carreiras, no mundo das empresas é o contrário: a reputação é o ativo mais importante para o sucesso no longo prazo.

Isso ocorre porque, quanto mais a carreira avança, é esperado que o profissional seja capaz de se responsabilizar por pessoas, operações e negócios. Seu conhecimento técnico torna-se menos relevante, e o que conta é sua experiência, domínio emocional, capacidade estratégica e credibilidade, tanto para celebrar contratos quanto para inspirar e mobilizar pessoas.

Por isso, para alcançar certos cargos, o indivíduo é avaliado não apenas por seu conhecimento, mas também por valores e comportamento. Em seu desenvolvimento, portanto, deve observar se é capaz de expressar seus valores a cada interação com as pessoas, especialmente clientes e níveis hierárquicos superiores.

Entretanto, sua carreira irá se desenvolver por cerca de 40 anos, provavelmente mais. Logo, terá de perseverar nesses valores elevados, em um mundo que, aparentemente, não se importa com eles.

Mas não se deixe enganar: no longo prazo é sua reputação que contará pontos. A questão aqui não é ser perfeito em tudo. A propósito, desconfie daqueles que pareçam perfeitos em tudo que fazem. Cometer erros, além de humano, é a forma de nos aperfeiçoar e de aprender. Mas, lembre-se, crimes não são erros, são crimes!

A reputação, portanto, é construída a partir de um propósito elevado perante o mundo. Uma construção que envolve uma visão ética de grandeza, aprender a lidar com os próprios erros, respeitar as hierarquias e as tradições positivas, pensar no longo prazo e como fazer para inspirar pessoas à ação em direção a um propósito que considere relevante. Sem domínio emocional e persistência, é impossível criar uma reputação positiva.

Um erro comum cometido por profissionais é não se tornar conhecido como uma referência em seu mercado de atuação, não apenas pelo saber, mas pelo comportamento. Um indivíduo tem de ser capaz de comunicar seu pensamento, até porque, se quiser que as pessoas tenham boas referências, deve ser a voz séria no setor em que atua.

É verdade que temos péssimos exemplos em nosso país, de como não devemos ser. Entretanto, também é verdade que, se nos faltam bons modelos, sejamos nós mesmos as fontes de ética, respeito e propósitos elevados para os demais, especialmente para as gerações futuras. Vamos em frente!

 

Ninguém aguenta reuniões sem fim

10 lições que aprendi com CEOs e empresários de sucesso

O plano de vida precede o de carreira