Qual o seu propósito?

Colunista: Sílvio CelestinoNo escândalo do petrolão, vimos que Graça Foster apresentou como solução a ideia de colocar uma diretoria de governança na Petrobras. Esse pensamento é muito comum em nossa cultura, em geral, e nas empresas, em particular. E é muito utilizado por pessoas que desejam se esquivar de uma análise mais profunda dos problemas e em alguns casos, de suas responsabilidades. Quando veem uma questão pensam: o que falta?

Isso causa um excesso de regras, burocracias e custos desnecessários. A lentidão com que o país avança dá a impressão de que nossos problemas podem ser resolvidos bem devagar, pois ninguém está sofrendo com eles. É evidente que essa sensação desaparece logo que vemos as imagens do que ocorre nos hospitais públicos, nas estradas federais e na vida das pessoas atingidas por crimes.

É claro que essa pergunta nos levará a descobrir, obviamente, algo que falta em termos quantitativos, mas dificilmente nos conduzirá a soluções com qualidade. Para elas, precisamos responder à pergunta: qual é o propósito?

Quer seja um indivíduo, uma empresa, ou um país, precisamos saber qual é a razão maior de nossa existência.

Quando essa questão não é respondida, mesmo que tenhamos muitos recursos à disposição, nada faz sentido e tudo volta-se para a destruição do que deveria existir. Como é o caso da destruição do valor das ações da Petrobras e, também, de sua reputação e credibilidade.

Conheço pessoas que possuem inúmeras certificações, falam mais de um idioma e tiveram experiências internacionais. Entretanto, nunca conseguiram fazer a carreira evoluir, pois não deram um significado construtivo a todas essas experiências. Não conseguiram criar um propósito para a vida e a profissão que escolheram.

Por outro lado, indivíduos que buscaram um propósito, mesmo que não tivessem quase nada em termos de recursos, construíram carreiras de sucesso, de muito significado e úteis ao mundo.

O mesmo ocorre com as empresas. Nos dias de hoje, é comum observarmos organizações que operam exclusivamente para o bem de seus acionistas, e se esquecem dos clientes, funcionários e de seu papel no mundo. Qual o propósito dessas empresas que participaram do petrolão?

Por último, temos de refletir a respeito do país que desejamos, pois é nele que a maioria de nós desenvolverá sua carreira. Mas, também, é ele que deixaremos para as gerações futuras. Qual o propósito do Brasil?

Penso que um país deve existir para propiciar a seus indivíduos condições de criar a vida que desejam, desde que ela tenha um propósito que possibilite a construção, o crescimento e a coexistência.

Afinal, qual é o seu propósito?

Ninguém aguenta reuniões sem fim

10 lições que aprendi com CEOs e empresários de sucesso

O plano de vida precede o de carreira