O Portal Carreira & Sucesso é uma publicação digital da Catho. Aqui você encontra informações relacionadas ao mercado de trabalho, que irão auxiliá-lo em seu desenvolvimento profissional.

11/10/2013 - O mercado para o engenheiro agrônomo

Autor: Comunicação

Engenheiro agrônomoO engenheiro agrônomo é o profissional responsável pelo planejamento, orientação e execução dos trabalhos relacionados à produção agropecuária, alimentos de origem vegetal e animal, até sua liberação para a comercialização e consumo.

Em 12 de outubro, comemora-se o Dia do Engenheiro Agrônomo, mas é importante destacar que o reconhecimento do trabalho deste profissional no Brasil só aconteceu a partir de 1933, pelo Decreto n.23196, que regulamentou o exercício da profissão, 58 anos após o que se considera a introdução da agronomia no país, até então tratada como uma simples tarefa do “campo”.

Por sua diversidade de atuação dentro de um leque igualmente amplo de atividades, determinar o que faz o engenheiro agrônomo nem sempre é tarefa das mais simples. “É um profissional de formação eclética, já que em sua graduação recebe conhecimentos sobre o solo, clima, irrigação, drenagem, fisiologia animal e vegetal, zootecnia, adubos e adubação, mecânica e máquinas, pragas, doenças, topografia, silvicultura, construções rurais, economia agrícola, administração rural e extensão rural”, explica a engenheira agrônoma e diretora da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Limeira – AEAL, Thaís Pascholati.

O agrônomo atua em todas as etapas da produção e comercialização dos produtos, acompanhando desde o plantio até o armazenamento e distribuição da mercadoria ou, no caso de animais, do controle de doenças, reprodução e abate. As principais especialidades são:

Defesa sanitária: Prevenção de doenças da lavoura e combate às pragas;

Engenharia rural: Supervisão da construção de instalações rurais, como nivelamento do solo, sistemas de irrigação e drenagem;

Fitotecnia: controla o uso de sementes, adubos e agrotóxicos, além da prevenção de doenças e pragas;

Agribusiness: pesquisa e orienta o uso de fertilizantes, agrotóxicos e rações. Acompanha a safra desde o plantio até a venda;

Agroecologia: pesquisa meios de conservar e aumentar a fertilidade dos solos e zelar pela utilização racional da terra, água, flora e fauna;

Zootecnia: cuida da saúde, alimentação, reprodução e adaptação ao meio do rebanho.

Oportunidades no mercado

Para atuar como Engenheiro Agrônomo, habilitado para o exercício profissional (Lei Federal 5194), o profissional precisa concluir a graduação em Engenharia Agronômica e estar registrado no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do seu Estado. As primeiras escolas de agronomia do Brasil foram fundadas no período imperial, em 1875 no Estado da Bahia e em 1883 no Rio Grande do Sul, atualmente anexadas às Universidades Federais da Bahia e de Pelotas, respectivamente.

Segundo o site da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – USP/ESALQ, o campo de trabalho do Engenheiro Agrônomo é vasto, face à amplitude de sua formação e extensão das fronteiras agrícolas que o nosso país oferece. Além de atuar diretamente junto aos produtores rurais, ele pode trabalhar em empresas e órgãos públicos ligados à pesquisa, empresas ligadas à transformação e comercialização de produtos agropecuários, empresas relacionadas com a produção e venda de insumos agrícolas e em setores ligados às cadeias produtivas agrícolas.

“O Brasil é um país de grandes dimensões e a maior parte de seu território é agrícola. Desta forma, o agronegócio tem um forte peso na economia brasileira, sendo o Engenheiro Agrônomo o profissional que atua em toda esta cadeia”, finaliza Thaís.

Leia mais sobre:

  |    |    |    |