Quando o coaching de carreira não é para você!

O processo de coaching de carreira ou coaching executivo se tornou moda na última década. Pessoas com os problemas profissionais mais diversos se encantavam com a possibilidade de eliminar qualquer dificuldade em 3 meses de processo. Porém, diferentemente do que algumas empresas dizem, o coaching não é uma fórmula para todos os problemas ou para todas as pessoas.

Existem situações específicas na qual esse processo não deve ser aplicado, assim como pessoas que não podem participar por não terem a maturidade adequada ou, simplesmente, por apresentarem algum transtorno mental sem tratamento.

Para facilitar o entendimento, listarei cinco cenários que, caso se identifique, o processo de coaching de carreira não é para você:

 

1- Você deseja que o coach te motive a tocar a sua vida profissional

O processo de coaching é muito mais profundo do que apenas motivar alguém. A motivação nesse procedimento ocorre de forma natural quando você define adequadamente o seu objetivo, avalia como esse ponto está alinhado aos fatores importantes da sua vida e passa a se desafiar e superar os problemas enfrentados no seu trabalho atual.

Portanto, a motivação aparece como consequência de um trabalho de desenvolvimento profissional bem realizado. Apenas pontualmente, quando você enfrenta um desafio maior do que o esperado durante o processo de coaching, o coach pode te suportar e ajudar a despertar a sua motivação através de reflexões. Novamente: isto ocorre apenas pontualmente e quando necessário.

 

2- Você quer que o coach te dê respostas prontas para a sua carreira

Neste caso, o mais adequado é procurar um processo de mentoring. Nesta metodologia, um profissional mais experiente e que já tenha vivido as dificuldades que você enfrenta hoje te mostrará o “caminho das pedras”, ou seja, falará exatamente o que ele fez e que deu certo. Desta forma, basta você seguir as orientações para ter o resultado esperado.

Em um processo de coaching de carreira isto não ocorre, uma vez que entendemos que a experiência de outra pessoa aplicada à sua realidade tende a não funcionar. Afinal, personalidade, habilidade, dificuldade e histórico de vida são completamente diferentes. Por isso, o coach auxilia você a encontrar as suas próprias respostas e a definir uma estratégia que funcione para o seu caso!

 

3- Você quer que o coach te ajude a superar as experiências negativas do seu passado profissional

Definitivamente um processo de coaching não é para você. O coach vai atuar apenas em te ajudar a entender a sua situação presente, qual o futuro desejado e quais ações precisa desenvolver para percorrer este caminho. O coaching é um processo com foco no presente e no futuro, apenas. Nenhuma questão do passado precisa ser avaliada para que o processo gere resultados na sua vida profissional.

Agora, se você deseja trabalhar traumas ou experiências passadas, entendendo como isto afeta o seu comportamento hoje e aprendendo formas mais saudáveis de lidar isso, o mais adequado é buscar um processo terapêutico com um psicólogo. Você pode tocar um processo terapêutico em paralelo ao processo de coaching, desde que trabalhe cada tema (passado, presente e futuro) na metodologia adequada.

 

4- Você se vê como vítima das situações

Todo processo de coaching atua para gerar protagonismo no cliente. O coach desenvolve o cliente para que entenda que, em toda situação, existe, pelo menos, um percentual que ele pode atuar e resolver. Até nas situações que não estão sob o seu controle, você pode controlar, pelo menos, a sua reação.

Assumir que sempre há um culpado (que não é você) pela situação atual de sua vida, demonstra uma desconexão com a realidade e afeta diretamente o desenvolvimento em um processo de coaching. Com este comportamento, a pessoa bloqueia qualquer possibilidade de mudança comportamental, pois não percebe que tem um papel decisivo na obtenção de melhores resultados.

 

5- Você possui um transtorno mental e não está em tratamento

O processo de coaching exige uma constante reflexão da sua situação atual, dos comportamentos que emite diariamente, das expectativas que tem sobre o seu futuro e das mudanças que precisa realizar. Sem uma capacidade mental saudável, todos esses processos não são realizados adequadamente pelo cliente, evitando o desenvolvimento mental e comportamental esperado.

Portanto, se você apresenta transtornos de ansiedade, depressão, transtorno bipolar ou qualquer outro transtorno mental, o ideal é que procure tratamento psicológico antes de iniciar um processo de coaching. Sem o tratamento correto será muito difícil você tirar proveito da metodologia oferecida pelo coach e poderá, em alguns casos, agravar a sua situação atual.

 

_

Sobre o autor
Allan Lopes é  Coaching Sistêmico, membro da Internacional Coach Federation, Master Practitioner em PNL e especialista em gestão de performance e em processos de mentoring e coaching aplicados ao ambiente corporativo. Sócio da Soar Desenvolvimento Humano e responsável pela área de Consultoria em Recursos Humanos.

3 fatores que atrapalham profissionais maduros a voltarem ao mercado…

Barreiras da inclusão no mercado de trabalho

Como conseguir emprego sem experiência?