O Portal Carreira & Sucesso é uma publicação digital da Catho. Aqui você encontra informações relacionadas ao mercado de trabalho, que irão auxiliá-lo em seu desenvolvimento profissional.

08/04/2013 - Para que serve o marketing pessoal?

Autor: Sady Bordin

Colunista: Sady BordinInfelizmente a maioria dos artigos e livros sobre marketing pessoal trata o tema apenas como uma ferramenta para o desenvolvimento das habilidades técnicas e interpessoais do profissional, reduzindo-o a um mero produto a ser oferecido ao mercado. Isso não deixa de ser verdadeiro, mas é uma visão míope e distorcida do rico universo que abrange o tema.

Preferimos enxergar o marketing pessoal como uma doutrina de vida, baseada numa visão holística do indivíduo como um ser humano dotado de sentimentos, emoções e sonhos, que tem, além de uma vida profissional, uma vida familiar e social.

O marketing pessoal não é somente útil para quem quer ingressar no mercado de trabalho ou para quem busca o crescimento em sua carreira, mas também para quem tem outros tipos de objetivos na vida ou mesmo para quem já se aposentou e nem precisa mais trabalhar, mas, nem por isso, deixa de ter novos projetos para esta nova fase da vida.

Tentaremos mostrar a seguir uma visão pouco explorada do marketing pessoal.

  • Autoconhecimento.

Aqui é onde tudo começa. A partir do instante em que uma pessoa passa a se conhecer – tarefa nada fácil, diga-se de passagem – e sabe exatamente o que ela quer para sua vida, tudo fica mais claro e fácil. Não tendo mais dúvidas em relação ao que a deixa feliz, a ansiedade vai embora e as decisões sobre os rumos a seguir ficam mais fáceis de serem tomadas.

Esta busca pelo autoconhecimento é fundamental para que uma pessoa não venha a se dedicar parte de sua vida a uma determinada carreira, tenha sucesso e, mesmo assim, não se sinta realizada…

  • Ter uma boa saúde.

A boa saúde física, mental e espiritual será fundamental para termos êxito em nossa jornada em busca da realização, pois a exigência de dedicação e esforço, tanto físico como emocional, serão grandes.

Cuidar de si mesmo é também uma demonstração inequívoca de elevada autoestima e amor próprio.

  • Melhorar a qualidade de vida.

Independentemente da idade, sexo, grau de escolaridade, classe social, a busca da melhoria da qualidade de vida é inerente ao ser humano.

Através do rendimento oriundo do uso de suas habilidades, conhecimentos e competências, as pessoas podem melhorar a qualidade de suas vidas, desfrutando de mais conforto, cultura e lazer.

  • Melhoria da vida social.

Apesar de 6.980.378 de pessoas viverem sozinhas no Brasil (IBGE, Censo de 2010), o homem – ainda – é um ser gregário. Estando bem consigo mesmo e destituído de afetação e preconceitos, o indivíduo estará aberto a um relacionamento social amplo e saudável, não visando nenhuma vantagem ao se relacionar com as pessoas e nem esperando delas nada em troca.

Estudos científicos tem mostrado que as pessoas que se relacionam mais têm maior expectativa de vida e menor propensão a desenvolver doenças.

  • Geração de oportunidades.

Com a melhoria da sua vida social, as pessoas acabam tendo acesso a mais informação, em quantidade e qualidade, que, eventualmente, pode se transformar em grandes oportunidades para sua vida pessoal ou profissional.

Quem, por exemplo, já não conheceu o amor de sua vida ou recebeu uma atrativa proposta de trabalho através de amigos e conhecidos? A vida é um mar de oportunidades aberto – somente – a quem desfruta de uma grande rede de relacionamento, baseada numa vida social ativa e saudável.

  • Busca da perfeição.

Na visão do marketing pessoal, o profissional, seja qual for sua área de atuação, deve buscar, no limite de suas limitações e competências, fazer o seu trabalho com esmero e qualidade e da melhor forma, no menor tempo e custo possíveis. Ao final de uma cadeia produtiva, todos saem ganhando, pois o resultado será a produção de bens e serviços de alta qualidade a preços acessíveis.

Quando o indivíduo se propõe a fazer alguma tarefa, ele o fará da melhor forma possível, não pela remuneração ou reconhecimento, mas porque, como disse Ralph Waldo Emerson (1803-1882), o prêmio por fazer um trabalho bem feito é tê-lo feito!

  • Conseguir patrocínio.

Muitas pessoas simplesmente não nasceram para trabalhar num escritório, presas entre quatro paredes, das oito da manhã às seis da tarde. Provavelmente elas carregam os genes de aventureiros e exploradores, como o neozelandês Edmund Hillary, primeiro homem a chegar ao topo do mundo em 29 de maio de 1953 ou o norueguês Roald Amundsen, primeiro homem a chegar ao Polo Sul, em 14 de dezembro de 1911.

São pessoas que querem chegar a lugares aonde ninguém jamais chegou. Querem ir em busca do desconhecido e do novo. Querem ir mais alto e mais longe. Mas, para tudo isso, é preciso de dinheiro. E muito!

Para fazer o histórico salto mais alto de todos os tempos – 39.045 metros – , no dia 14 de outubro de 2012, o austríaco Felix Baumgartner precisou de uma equipe de 300 pessoas, incluindo 70 engenheiros, cientistas e físicos e muitos milhões de dólares de seu patrocinador.

Se você precisar de patrocínio para uma empreitada audaciosa, o marketing pessoal será imprescindível.

  • Conseguir o primeiro emprego.

Mesmo com um diploma na mão não é fácil conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho no início de carreira. O marketing pessoal busca o desenvolvimento e aprimoramento das habilidades e competências do indivíduo, além de trabalhar na prospecção de oportunidades, facilitando, assim, sua colocação no mercado.

Conforme pesquisa realizada pela consultoria iBRAIN e divulgada pela Gazeta do Povo em 18 de março de 2013, 43% das pessoas entrevistadas conseguiram seu emprego através de indicação e apenas 7% através de anúncios de empregos.

  • Mudar de emprego.

Algumas pesquisas apontam que muitas pessoas não se sentem felizes em seu atual emprego e gostariam de mudar, se tivessem uma oportunidade.

Novamente o marketing pessoal é a ferramenta mais adequada para esta empreitada, pois o profissional vai precisar prospectar uma oportunidade no mercado de forma sutil e discreta.

E se o profissional utilizar seu marketing pessoal de forma inteligente, ele mudará de emprego sem fechar as portas de seu emprego anterior.

  • Conseguir uma promoção.

Ao contrário do caso anterior, o profissional gosta da empresa na qual trabalha, mas espera uma promoção. Neste caso ele precisa demonstrar para seus superiores que tem qualificação e competência suficientes para ser promovido.

Mas isso deve ser feito com discrição e sutileza, pois se esta pretensão for vista como arrogância, mesmo sendo justa, a promoção jamais acontecerá. Novamente, o marketing pessoal é o melhor caminho para um profissional crescer na própria organização.

  • Atingir objetivos.

“A pior derrota é não partir.” Amyr Klink

Quem não tem sonhos? Quem não tem planos? O marketing pessoal, enquanto disciplina da administração, trabalha com planejamento. Isso é particularmente importante para quem quer realizar um sonho. Muitas pessoas não sabem como colocar numa folha de papel um planejamento de longo prazo para realizar seu sonho. Mas é preciso ter um planejamento, com metas específicas e um cronograma estipulando os prazos e custos para cada etapa de plano.

Quem teve o prazer de ler o livro “Cem dias entre o céu e mar”, escrito pelo próprio Amyr Klink, que narra sua histórica travessia do oceânico atlântico, feita num barco a remo, em 1984, pode ter uma boa ideia da importância do planejamento para se atingir um objetivo.

Então, deu para ter uma ideia do quão útil, vasto e rico é o universo do marketing pessoal. Se você tem um objetivo, use e abuse das ferramentas do marketing pessoal. O sucesso será mera consequência!

Grande Abraço,

Sady Bordin, 49 anos, é piloto de linha aérea e autor de “Marketing Pessoal – 100 dicas para valorizar a sua imagem.”, Editora Record.

Contato: sady@bordin.net

 

 

Leia mais sobre: