Dress Code: como se apresentar no universo corporativo

Dress CodeA boa aparência não compensa a falta de conhecimentos e competências no mercado de trabalho, mas apresentar-se, vestir-se e portar-se de acordo com a cultura da empresa ou área de atuação conta pontos para o profissional. O traje adequado pode passar mais credibilidade e causa melhor impressão aos colegas de trabalho e gestores.

O Dress Code, ou código de vestimenta, serve para distinguir o que pode ou não ser usado dentro do ambiente organizacional, e este conceito vem sendo bastante empregado dentro das organizações. “O dress code formal é o mais complicado por parecer sempre um uniforme. É o caso de quem trabalha em banco, no mercado financeiro ou no poder judiciário, por exemplo. Todos acabam optando pelo ‘pretinho básico’, tornando a rotina diária monótona. Lembre-se que existem diversas cores neutras, como branco, bege, cinza, marinho, marrom, vinho e verde, por exemplo”, indica Camila Teixeira, diretora da Fit Consultoria de Imagem Corporativa & Pessoal.

Ter uma boa aparência para uma entrevista de emprego deixará o profissional mais seguro e o selecionador terá uma boa primeira impressão. Escolher o traje ideal é valorizado e soma pontos ao profissional, no entanto não é o fator determinante. De acordo com a mais recente Pesquisa dos Executivos, realizada pela Catho Online com mais de 46 mil participantes, os contratantes classificaram por ordem de importância 13 fatores de maior relevância nas seleções. O desempenho nas entrevistas ficou em primeiro lugar, seguido de competências comportamentais e experiência técnica relacionada ao cargo anterior (em uma escala de 0 a 10):

Pesquisa dos Executivos

Apesar de cada área de atuação ter sua particularidade, existem regras básicas que se aplicam a todas as situações e ambientes no tocante ao código de vestimenta. Confira algumas dicas de Luciene Oliveira, consultora de Recursos Humanos da Catho Online:

-Para as mulheres é importante evitar decotes, transparências e lingerie aparentes, pois estes tipos de roupas não são adequados para o ambiente profissional. A maquiagem, corte de cabelo, tintura, roupas e acessórios devem sempre seguir o mesmo estilo, combinando com a sua personalidade, seja ela clássica, esportiva, moderna ou exuberante.

-Para os homens é imprescindível estar com unhas limpas, cortadas e barba e cabelo aparados.

De acordo com Teixeira, dar importância a aparência pode ser supérfluo, mas ninguém quer ser conhecido como “aquele que tem mau hálito, a descabelada, o da calça preta manchada”, e assim por diante. “Menos ainda, ser lembrado pelo corpo malhado, decotes profundos ou pernas trabalhadas. O quesito em questão deve ser a competência”, reforça.

No trabalho, OUVIR pode ser mais importante do que FALAR

21 Dicas para atrair o emprego desejado

Home Office: vilão ou solução?